Coronavírus

Número de mortes provocadas pelo Covid-19 mais que duplicou em 24 horas em Hubei

China Daily CDIC

Foram alterados os critérios e o método de deteção do coronavírus.

Especial Coronavírus

Nas últimas 24 horas foram registadas 254 mortes na província chinesa de Hubei, centro da epidemia do novo coronavírus, ultrapassando o anterior recorde de mortes ocorrido em 10 de fevereiro (103 mortes).

Nas últimas 24 horas, até à meia-noite de quarta-feira (hora local), as autoridades de Hubei registaram mais 15.152 novos casos da infeção em Hubei, cuja capital é Wuhan.

No país o número total de mortos é de 1.370 e de infeções é de mais de 60 mil.

A Comissão Provincial de Saúde indicou que o aumento do número de casos é devido a uma nova definição mais ampla de infeção.

Uma radiografia ao tórax dos casos suspeitos pode ser considerada suficiente para diagnosticar o vírus, em vez de testes padrão de ácido nucleico, disseram as autoridades, citadas pela agência de notícias France-Presse.

Esta nova metodologia torna possível fornecer um tratamento aos pacientes "o mais rapidamente possível" e "ser consistente" com a classificação usada nas outras províncias chinesas, explicou.

"A nossa compreensão da pneumonia causada pelo novo coronavírus está a aprofundar-se e estamos acumular experiência em diagnóstico e tratamento", sublinhou.

Número de infetados a bordo de cruzeiro no Japão sobe para 218

O número de infetados com o novo coronavírus a bordo do cruzeiro Diamond Princess subiu para 218, anunciou hoje o Governo japonês, que mantém em quarentena no navio atracado ao largo do país.

Há mais de uma semana que mais de 3.600 pessoas, entre passageiros e tripulantes, estão em quarentena a bordo do navio, atracado ao largo do porto de Yokohama, a sul de Tóquio, por decisão do Governo japonês que pretende assim evitar novas infeções no país.

O ministro da Saúde japonês, Katsunobu Kato, indicou que há mais 44 infetados a bordo, depois de terem sido realizadas novas análises em 221 pessoas.

Kato acrescentou que os idosos a bordo com análises negativas vão poder sair do navio antes do fim do período de quarentena, previsto para 19 de fevereiro.

Estas pessoas ficaram alojadas no Japão, num local específico escolhido pelo Governo. "Queremos avançar com esta operação amanhã [:sexta-feira] ou depois", adiantou o ministro, em conferência de imprensa.

Entre os 44 novos casos de infeção contam-se 43 passageiros e um tripulante. Um dos responsáveis pelas operações de quarentena também ficou infetado pelo vírus, entretanto designado covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Governo japonês tinha já anunciado, na terça-feira, que ia permitir a saída do navio de passageiros mais idosos e de doentes crónicos do navio, cujas análises fossem negativas.

Cerca de 80% dos 2.666 passageiros têm mais de 60 anos de idade e mais de 200 passageiros têm 80 anos ou mais.

Os casos confirmados de infeção a bordo foram já transferidos para hospitais japoneses, numa altura em que a eficácia da quarentena começa a ser posta em causa, dado que dezenas de novos casos são identificados quase diariamente. Além da maioria dos passageiros ter idade elevada, as condições da quarentena, com isolamento em cabines muitas vezes sem janela, podem agravar o estado de saúde de pessoas mais fragilizadas.

O ministro da Saúde japonês disse que entre as pessoas saídas do navio e já hospitalizadas, cinco apresentam um estado de saúde considerado grave.

A OMS pediu na sexta-feira ao Japão que tomasse todas as medidas necessárias para acompanhar os passageiros do Diamond Princess confinados a bordo desde 03 de fevereiro, incluindo apoio psicológico.

Veja também:

Mapa interativo mostra em tempo real os países afetados pelo coronavírus

A Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, criou, em conjunto com outras entidades, um mapa interativo que permite acompanhar a evolução do coronavírus no mundo.