Coronavírus

Munícipes de Felgueiras estão a ser discriminados fora do concelho

Foram detetados vários casos de novo coronavírus nos municípios de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto.

Especial Coronavírus

O presidente da Câmara de Felgueiras alertou hoje para as "muitas queixas" de pessoas que estão a ser "segregadas" fora do concelho devido ao surto de Covid-19 só por serem de Felgueiras, algo que diz ser "inadmissível".

"É uma discriminação e uma intolerância que não faz sentido, contra a qual bater-me-ei até às últimas consequências", comentou Nuno Fonseca, em declarações à Lusa, referindo que a "indignação de Felgueiras" já foi comunicada, pelos canais oficiais, ao Governo.

Nos municípios de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto, foram detetados vários casos de novo coronavírus, o que levou a Direção-Geral Saúde (DGS) a determinar o encerramento de todas as escolas e outros espaços públicos e privados, como medida para tentar conter o surto de Covid-19.

Insistindo na "denúncia das situações de discriminação", o autarca de Felgueiras dá como primeiro exemplo o facto de o município de Cantanhede (Coimbra) ter suspendido, na terça-feira, por um período de 15 dias, uma empreitada de requalificação de duas ruas na cidade, pelo facto de alguns trabalhadores serem de Felgueiras.

Disse também haver queixas dos bombeiros de Felgueiras sobre dificuldades no acesso ao Hospital de Penafiel, quando procedem ao transporte de doentes.

À Lusa, acrescentou haver relatos de alunos de Felgueiras aos quais não foi permitido frequentar as aulas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e de munícipes que têm sido confrontados com dificuldades nas suas atividades profissionais, como um empresário que pretendia levantar umas amostras em Barcelos (Braga) e terá sido impedido de o fazer.

Há também a indignação de uma pessoa que exerce a sua atividade fora do concelho e que terá sido convidada pela entidade patronal a não trabalhar nestes dias por ser de Felgueiras.

Anotou, também, haver queixas de dificuldades no atendimento de munícipes em equipamentos de saúde da rede pública na região e em zonas mais afastadas no país.

Também na terça-feira, em Santarém, acrescentou, foi adiado um julgamento, só porque um dos advogados era de Felgueiras.

Para Nuno Fonseca, "são demasiados casos envolvendo pessoas de Felgueiras que estão a ser injustamente prejudicadas nas suas vidas".

"As pessoas de Felgueiras não podem aceitar isto", reforçou.

O autarca recorda que o concelho vive um momento difícil, devido às medidas impostas pelas autoridades de saúde para tentar conter a propagação do novo coronavírus e que "casos de discriminação", como os que indicou, acentuam ainda mais o quadro adverso.

Nuno Fonseca sublinha que o concelho de Felgueiras, "graças aos méritos dos seus empresários e trabalhadores, é um dos que mais contribui para a riqueza nacional" e que, também por isso, deve merecer do país "toda a solidariedade e compreensão".

O autarca apela "a todos os portugueses para que estejam atentos e não permitam que as pessoas de Felgueiras sejam prejudicadas".

Vários habitantes de Felgueiras e Lousada violam a quarentena

Na zona norte, a mais afetada pelo surto de Covid-19, várias autarquias já avançaram com planos de prevenção. O maior foco de infeção está localizado em Lousada e Felgueiras, dois concelhos praticamente parados, mas nem todos estarão a respeitar a quarentena.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a DGS.

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais. Há ainda 667 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Os residentes nos concelhos de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto, foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do país, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

Saiba quais são os serviços e espaços encerrados ou condicionados em Portugal

  • 140 mortos e 6.408 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O último balanço da DGS refere a existência de 140 mortes e 6.408 infetados com o novo coronavírus em Portugal. Mais 21 óbitos e 446 casos em relação a ontem, o que representa um aumento de 7,5% no número de casos. Arrancou hoje um programa de testes à Covid-19 em todos os lares de idosos do país. A medida do Governo visa evitar novos focos de contágio. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias