Coronavírus

Governo diz que não há razões para a "corrida aos supermercados"

Sergio Perez

"Não há razões para aquilo que se designa de corrida aos supermercados, porque isso pode gerar um alarme que é injustificado."

Especial Coronavírus

O secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, disse esta quinta-feira que não há razões para a "corrida aos supermercados" devido ao Covid-19 e garantiu que não há perspetiva de rutura de 'stocks'.

"Não há razões para aquilo que se designa de corrida aos supermercados, porque isso pode gerar um alarme que é injustificado", disse João Torres aos jornalistas no final de uma reunião de um grupo de trabalho entre o Governo, entidades públicas e associações do setor produtor agroalimentar, retalho, distribuição e logística das cadeias de abastecimento.

No final da reunião que decorreu esta quinta-feira no Ministério da Economia, em Lisboa, para avaliar os impactos na cadeia de distribuição alimentar, o governante garantiu que "não há razões para alarmismo" e que as situações de "procura inusitada" registadas nos supermercados "não significam, na prática, que não haja 'stocks' suficientes para repor em prateleira esses mesmos produtos".

Veja também:

ACOMPANHE AQUI OS ÚLTIMOS DESENVOLVIMENTOS SOBRE O CORONAVÍRUS