Coronavírus

AMI alerta para falsos voluntários

LYNN BO BO

"Os voluntários da AMI atuam por referenciação dos seus equipamentos sociais e delegações, apoiando beneficiários previamente sinalizados."

Saiba mais...

A AMI - Assistência Médica Internacional alertou esta sexta-feira para a existência de pessoas a fazerem-se passar por voluntários da organização, oferecendo-se para comprar comida e medicamentos, para fazer face à pandemia de Covid-19, segundo um comunicado divulgado esta sexta-feira.

"Face aos relatos de que há pessoas a fazerem-se passar por voluntários da AMI, oferecendo-se para a compra de bens alimentares e medicamentos, a Fundação AMI" emitiu esta sexta-feira um comunicado a esclarecer que "os voluntários da AMI atuam por referenciação dos seus equipamentos sociais e delegações, apoiando beneficiários previamente sinalizados".

No comunicado, a associação acrescenta que "os voluntários da AMI encontram-se devidamente credenciados, não recebem pagamentos, sendo portadores de uma autorização de circulação emitida pela Fundação AMI para esse fim e têm ainda a indicação para deixar os bens essenciais à porta dos seus beneficiários, garantindo que os mesmos os recolhem, seguindo as recomendações de prevenção da Direção-Geral da Saúde e da Organização Mundial de Saúde".

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A COVID-19

Veja também:

Os números do coronavírus

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

O número de mortos no país subiu para seis.

Dos casos confirmados, 894 estão a recuperar em casa e 126 estão internados, 26 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Das pessoas infetadas em Portugal, cinco recuperaram.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 02 de abril.

Hoje, o Governo está reunido pelo segundo dia em Conselho de Ministros para debater as medidas de apoio social e económico para a população afetada pela pandemia de Covid-19, depois de na quinta-feira ter apresentado um primeiro lote de medidas de concretização do estado de emergência.

  • 14:54