Coronavírus

Mais de 12 mil mortos em França devido à infeção Covid-19

CHRISTOPHE PETIT TESSON

Há menos doentes nos cuidades intensivos o que deixa as autoridades otimistas quanto à hipótese de abrandamento da epidemia.

Especial Coronavírus

A epidemia de Covid-19 em França fez 12.210 mortos, entre os quais 8.044 no hospital e 4.166 em lares, indicou hoje o diretor-geral da Saúde francês. Há 86.344 casos da doença confirmados.

Pela primeira vez há menos doentes nos cuidados intensivos - os casos mais graves - o que leva as autoridades a estarem um pouco mais otimistas acerca da desaceleração da epidemia no país.

"Podemos permitirmo-nos pensar que estamos progressivamente a travar a epidemia", disse Jérôme Salomon, citado pela AFP.

Há atualmente 30.767 pessoas hospitalizadas e 7.066 pacientes estão internados nos cuidados intensivos, menos 82 pacientes que na véspera.

"Mas mas o número (de internados nos cuidados intensivos) ainda é alto e continua a criar muita presão nos hospitais", lembrou.

Esta presão, especialmente nalgumas regiões do país, vai levar a novas transferências de pacientes entre hospitais nacionais já esta sexta-feira, utilizando dois comboios de alta velocidade para fazer estas deslocações.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

O continente europeu, com mais de 787 mil infetados e mais de 62 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, contabilizando 18.279 em 143.626 casos confirmados

Portugal com 409 mortes e quase 14 mil infetados pelo novo coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira que Portugal regista um total de 409 mortes 205 recuperados de Covid-19.

De acordo com os últimos dados, há mais 29 vítimas mortais do que na quarta-feira, e 13.956 infetados (mais 815) pelo novo coronavírus, o que representa um aumento de 6,2% face a quarta-feira.

SIGA AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19