Coronavírus

Clubes da Liga inglesa vão poder jogar nos seus estádios resto da época

Governo inglês deve entregar esta semana uma estratégia para que os jogadores possam voltar aos treinos de grupo.

Especial Coronavírus

Os clubes da Liga inglesa vão poder disputar nos seus estádios o resto da temporada, se for decidido retomar a competição após suspensão, anunciou esta terça-feira o responsável pelo policiamento do futebol em Inglaterra.

Segundo Mark Roberts, foram hoje realizadas reuniões "positivas" com a 'Premier League' e o Governo, que permitiram recuar na intenção, previamente declarada, de que apenas jogos em campo neutro seriam seguros, devido à pandemia de covid-19.

"Vamos explorar uma série de opções para encontrar um caminho em frente, que minimize quaisquer riscos para a segurança pública e pressão desnecessária nos serviços públicos, e que facilite um regresso sensato à competição, para apoiar a economia e também os benefícios de moral associados ao desporto", declarou.

O Governo inglês deve entregar esta semana uma estratégia para que os jogadores possam voltar aos treinos de grupo, ainda que o autarca de Londres, Sadiq Khan, já tenha dito que considera ser demasiado cedo para regressar à competição, numa cidade que alberga cinco dos 20 clubes primodivisionários.

Richard Masters, que chefia a Liga, explicou aos jornalistas que o objetivo será sempre "garantir que os jogadores estão seguros, mesmo durante situações de contacto físico durante os treinos", e que a forma de lidar com esse contacto, em treinos e jogos, será analisada "caso a caso".

O avançado do Manchester City Raheem Sterling já manifestou preocupações com o regresso, apesar da garantia de que todos os jogadores e membros dos clubes serão testados regularmente.

Para já, não há qualquer indicação de retorno da Liga inglesa, a qual o Liverpool lidera, seguido do Manchester City, com Masters a garantir que, na eventualidade de um caso positivo, o jogador será isolado "durante algum período, mas sem necessidade do resto do grupo também o ser".

ESPECIAL CORONAVÍRUS