Coronavírus

Máscaras, distanciamento e medição de temperatura recomendados para filmagens em Portugal

Jeff Chiu

Publicado um guia com “orientações para filmar em Portugal”.

Saiba mais...

Planos de contingência, uso de máscaras, realização de isolamento profilático e medição de temperatura são algumas das medidas recomendadas para a produção de cinema e audiovisual em Portugal, em tempo de covid-19, hoje reveladas.

A Portugal Film Commission publicou hoje um guia com “orientações para filmar em Portugal”, tendo por base recomendações da Direção-Geral da Saúde, em matéria de regras de segurança, de distanciamento obrigatório e de higiene por causa do novo coronavírus.

De acordo com o documento, as empresas produtoras de cinema e audiovisual têm de criar, implementar e divulgar planos de contingência antes de cada projeto e “para imediata atuação caso exista suspeita ou se detete algum caso positivo de Covid-19”.

Às produtoras é recomendado que evitem filmar “cenas que impliquem um grande aglomerado de pessoas no mesmo local” e “que acarretem contacto físico direto e pessoal entre atores”.

Se tal não for possível, pela dimensão do projeto ou porque impliquem “contacto físico direto e pessoal” entre atores, ”é altamente recomendado que os atores intervenientes provem o seu estado de saúde”.

Segundo o guia, antes do início das rodagens, os atores devem demonstrar que cumpriram um período de 14 dias de isolamento ou que fizeram teste à covid-19.

No local das filmagens devem existir “termómetros ‘contactless’, através dos quais possa ser efetuada medição de temperatura, sem registo de quaisquer dados obtidos”.

É recomendada ainda a “separação das equipas técnicas" para que não estejam muitas pessoas no mesmo espaço, e colocação de máscara para todos, com exceção do momento em que os atores estão a filmar.

Os planos de contingência devem ser adaptados às características de cada projeto e devem ser partilhados “com as empresas fornecedoras de serviços que acedam ao local de filmagem”.

Há ainda protocolos específicos e detalhados, por exemplo, para as áreas de guarda-roupa e caracterização, indo ao pormenor de recomendações para o uso de batons e rímel: "Não podem ser reutilizados em pessoas diferentes, devendo ser privilegiados, sempre que possível, aplicadores descartáveis", lê-se.

“O departamento de guarda-roupa deve proceder à limpeza e higienização do seu equipamento, bem como do vestuário utilizado pelo elenco, de forma regular. (…) A roupa pessoal dos atores deve ser manuseada e colocada em sacos pelos próprios”, lê-se no documento.

Este guia é publicado no dia em que a Plural Entertainment e a estação de televisão TVI anunciaram que vão retomar, na segunda-feira, as gravações das novelas que foram interrompidas em março por causa da covid-19.

“Na semana que antecede o início das gravações serão efetuados testes de despistagem a todos os colaboradores da Plural", será medida a temperatura aos trabalhadores duas vezes por dia e no local estará “um profissional de saúde diariamente”, referem em comunicado.

Na semana passada, num pedido de esclarecimento ao Instituto do Cinema e Audiovisual sobre o retomar de atividade no setor do cinema e audiovisual, depois de dois meses paralisado, fonte do organismo disse à Lusa que as rodagens canceladas entre março e abril deveriam ser retomadas nos meses de verão, mas sujeitas a confirmação.

Segundo a mesma fonte, entre as produtoras subsistem ainda dúvidas sobre, por exemplo, como dar continuidade a produções que exijam viagens para locais fora de Portugal.

ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS

Mais 12 mortes por Covid-19 em Portugal

Portugal regista esta quarta-feira um total de 1.175 mortes relacionadas com a Covid-19, mais 12 do que na terça-feira, e 28.132 infetados (mais 219), segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde (DGS).

Em comparação com os dados de terça-feira, em que se registavam 1.163 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus - 28.132 - os dados da DGS revelam que há mais 219 casos do que na terça-feira (27.679 ), representando uma subida de 0,8%.

Foi registado um ligeiro aumento do número de casos e vítimas mortais relativamente ao dia anterior. Foram ainda dados como recuperados 3.182 pacientes, um aumento de 169 face a terça-feira.

Mais de 4,2 milhões de infetados e 292 mil mortos em todo mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 292 mil pessoas e infetou mais de 4.272.880 em 195 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan, segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 hoje, baseado em dados oficiais.

Entre esses casos, pelo menos 1.462.000 foram considerados curados.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada à covid-19 no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 82.389 óbitos em 1.370.016 casos. Pelo menos 230.287 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Reino Unido com 32.692 mortes para 226.463 casos, Itália com 30.911 mortes (221.216 casos), Espanha com 27.104 mortes (228.691 casos) e França com 26.991 (178.225 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou 82.926 casos (sete novos entre terça-feira e hoje), incluindo 4.633 mortes e 78.189 recuperações.

A Europa totalizou 159.737 mortes para 1.793.753 casos, Estados Unidos e Canadá 87.672 mortes (1.441.173 casos), América Latina e Caraíbas 23.091 mortes (402.804 casos), Ásia 11.184 mortes (316.088 casos), Médio Oriente 7.787 mortes (241.232 casos), África 2.403 mortes (69.515 casos) e Oceânia 126 mortes (8.316 casos).

  • 14:54