Coronavírus

7 mortes e 310 novos casos de Covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas

Armando Franca

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 1.504 mortes e 35.910 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.497 para 1.504, mais 7, enquanto o número de infetados aumentou de 35.600 para 35.910, mais 310, o que representa um aumento de 0,87%

O número de casos recuperados subiu de 21.742 para 22.002, mais 260.

Há 415 doentes internados, menos dois em relação a ontem. 70 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos, o mesmo número de quarta-feira.

No Relatório de Situação divulgado esta quinta-feira, há, desde 1 de janeiro, um total de 345.495 casos suspeitos, dos quais 1.562 aguardam os resultados das análises e 308.023 testes que deram negativo.

283 dos 310 novos casos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, há 283 novos casos de infeção (91,3% do total). Os restantes distribuem-se pela região Norte (mais 19), região Centro (mais 4), Alentejo (mais 3) e Açores (mais 1).

A região Norte é a que regista o maior número de casos (17.007) e mortos (810). Na região de Lisboa e Vale do Tejo há 14.161 casos e 417 vítimas mortais. Seguem-se a região Centro (3.841 infetados e 246 óbitos), o Algarve (391 casos e 15 mortos), os Açores (143 casos e 15 mortos), o Alentejo (277 casos e 1 morto) e a Madeira, com 90 casos.

Segundo os dados da DGS, 759 vítimas mortais são mulheres e 745 são homens. No que diz respeito a infetados, há, desde o início da pandemia, 15.590 casos positivos do sexo masculino e 20.320 do sexo feminino.

O concelho de Lisboa é o que regista o maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus (2.789), seguido por Sintra (1.802), Vila Nova de Gaia (1.592), Porto (1.414), Loures (1.352), Matosinhos (1.292), Braga (1.256) e Amadora (1.152).

Existem "duas crianças internadas e nenhuma está em unidades de cuidados intensivos"

VEJA MAIS NO ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS