Coronavírus

Não há vírus que impeça um dia de praia. No Reino Unido foi assim

Milhares de britânicos aproveitaram as temperaturas altas em Bournemouth.

Especial Coronavírus

A cerca de duas semanas do alívio das restrições no Reino Unido, as praias da cidade costeira de Bournemouth, no sul de Inglaterra, ficaram completamente cheias.

Quanto ao distanciamento, esse não foi respeitado nem no areal, nem dentro de água.

Esta quinta-feira foi o dia mais quente no Reino Unido, com as temperaturas a atingirem os 33.3 ºC. Muitos não resistiram ao calor e decidiram dar um pulinho ou mesmo passar o dia na praia.

As autoridades de Bournemouth declararam uma situação de emergência devido ao comportamento de milhares de pessoas nas praias locais.

DESCONFINAMENTO NO REINO UNIDO

Na terça-feira, o primeiro-ministro Boris Johnson anunciou o levantamento de várias restrições a partir de 4 de julho, autorizando a reabertura de bares e restaurantes e a redução da regra de distanciamento social de dois metros para um metro ou mais, uma medida destinada a facilitar o funcionamento de certos negócios.

O anúncio recebeu algumas críticas porque o Reino Unido continua a registar centenas de novas infeções e mortes diariamente, tendo o cientista Stephen Reicher alertado, num artigo publicado pelo jornal The Guardian, que as novas regras poderão levar a maiores comportamentos de risco.

O Reino Unido registou 149 mortes nas últimas 24 horas, com o total a subir para 43.230 óbitos desde o início da pandemia.

O número de novos infetados quase duplicou, de 653 para 1.118, o que aumentou para 307.980 o número de casos de contágio desde o início da pandemia. O último balanço é de quinta-feira.