Coronavírus

Açores e Madeira: a confusão do Governo britânico 

As explicações do ministro dos Negócios Estrangeiros.

Especial Coronavírus

O ministro dos Negócios Estrangeiros critica o "caos" e o "absurdo" da decisão do Governo britânico ao considerar a Madeira e os Açores como destino seguro, mas obrigar os passageiros provenientes das ilhas a cumprir quarentena obrigatória na chegada a Inglaterra.

Em causa estão duas listas divulgadas esta sexta-feira.

A lista do Ministério dos Negócios Estrangeiros revelou os destinos considerados seguros, face à pandemia, que inclui os Açores e a Madeira.

Já a lista do Ministério dos Transportes dá a conhecer os "corredores de viagem internacionais" com destinos turísticos que o Reino Unido vai abrir para permitir aos britânicos passarem férias sem cumprir quarentena no regresso. Esta lista exclui Portugal, Madeira e os Açores. Ou seja, apesar de serem seguras, os passageiros provenientes das ilhas vão ser obrigados a cumprir quarentena quando chegarem a Inglaterra.

Augusto Santos Silva fala num "elemento de caos final para mostrar o absurdo" da decisão.

Santos Silva critica decisão "absurda e injusta" do Reino Unido

Sobre a exclusão de Portugal dos corredores, o ministro dos Negócios Estrangeiros critica a decisão, considerando-a "profundamente injusta", "errada" e um "absurdo".

Em declarações aos jornalistas, esta sexta-feira, Augusto Santos Silva diz que não faz sentido que "um país com os piores indicadores em matéria de pandemia" queira impor quarentena a passageiros provenientes de um "país que tem melhores indicadores".