Coronavírus

Ministro pede aos adeptos do FC Porto que mostrarem "civismo" nas celebrações

O FC Porto precisa apenas de 1 ponto para ser campeão nacional.

Especial Coronavírus

O ministro da Administração Interna pediu esta sexta-feira aos adeptos do FC Porto que percebam que este é "um tempo especial" e que, à semelhança da noite de São João, mostrem um "elevadíssimo civismo" nas celebrações do título de futebol.

"O apelo que faço é aos cidadãos adeptos [para] que percebam que o tempo é um tempo especial e que a melhor forma de assinalar será com alegria. O campeonato, como dizia o treinador do FC Porto, ainda não terminou e não me cabe fazer especulações, mas reconheço as probabilidades muito elevadas de concretização", referiu Eduardo Cabrita.

Ainda assim, o ministro, que falava à margem da ação de destruição de armas, que decorreu na Maia, instou os adeptos a, à semelhança do que fizeram na noite de São João, mostrarem o seu "elevadíssimo civismo".

"A cidade do Porto e os seus cidadãos mostraram no São João o seu ato de civismo da forma como perceberam que era necessário adequar a estes tempos o grande dia da cidade. Estou certo, e o apelo que faço é [para] que apliquem o mesmo princípio em próximas celebrações", reiterou.

Questionado pelos jornalistas sobre o plano de intervenção a aplicar nesse dia, Eduardo Cabrita afirmou que "a responsabilidade está nas mãos de todos", assegurando que as forças de segurança e as autoridades de saúde pública "tomarão as medidas preventivas adequadas".

Com o empate (1-1) do Benfica frente ao Famalicão na noite de quinta-feira, em jogo da 31.ª ronda, os dragões precisam apenas de um ponto nas três jornadas que faltam da I Liga de futebol para garantirem o título, já que têm oito pontos de avanço na tabela e vantagem no confronto direto com as águias.