Coronavírus

"Não votem num assassino." O apelo de Sharon Stone depois de madrinha e avó morrerem de Covid-19

Mario Anzuoni

Atriz pede aos norte-americanos, através de uma mensagem no Instagram, que votem no Partido Democrata.

Especial Coronavírus

Sharon Stone, através de um vídeo publicado no Instagram, partilhou a forma como a própria família está a ser afetada pelo novo coronavírus.

"A minha avó morreu de covid e a minha madrinha morreu de covid. A minha irmã e o marido estão a lutar pela vida", contou a atriz.

Sharon Stone critica a forma como a pandemia está a ser gerida no estado de Montana, nos Estados Unidos, onde apenas quem está sintomático pode realizar teste.

"Eles [irmã e cunhado] ficaram em casa o máximo tempo que conseguiram", acrescentando que neste momento estão internados no hospital.

Instagram

À mãe de Sharon Stone, que esteve em contacto com a irmã e o cunhado da atriz, fora recusado teste, por estar assintomática.


A atriz, através da história da própria família, tenta alertar para o "estado atual na zona central do país".

"Vocês, os habitantes daqui, têm altas probabilidades de morrer devido à covid-19. Continuam a dizer que os riscos são ínfimos e que poderão não morrer e que vão ficar bem, mas estou a contar-vos o que se está a passar com a minha família", diz atriz no vídeo. Acusando as autoridades de mentirem: "Quando dizem que há testes para todos estão a mentir. Quando dizem que há testes até para os enfermeiros nos hospitais, estão a mentir. Há pessoas a morrer e a lutar pela sua vida, porque tudo se resume a mentiras".

Sharon Stone termina o vídeo a pedir aos americanos que "não votem num assassino". Sem mencionar o nome de Donald Trump, a atriz apela ao voto nos democratas Joe Biden e Kamala Harris.

A única coisa que vai mudar isto é se votarem. E se votarem por Biden e Kamala Harris. Porque com as mulheres no poder vamos lutar pelas nossas famílias, vamos lutar pelas vidas das pessoas, vamos lutar para que sejam testadas. Porque os únicos países que estão a ter bons resultados perante a Covid-19 são os países com mulheres na liderança", remata Sharon Stone.

Veja também: