Coronavírus

Portugal regista mais duas mortes e 145 novos casos de Covid-19

Rafael Marchante

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

Portugal regista mais duas mortes relacionadas com a covid-19 e 145 novos casos confirmados de infeção nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), hoje divulgado.

De acordo com o boletim da DGS, desde o início da pandemia até hoje, registaram-se 55.597 casos de infeção e 1.796 mortes.

O Norte foi a região que registou mais novos casos nas últimas 24 horas, com 69 infeções confirmadas, contabilizando um total de 19.929 casos, tendo registado mais um óbito, de um total de 843.

A região Norte tinha registado no dia 17 de agosto mais novos casos do que Lisboa e Vale do Tejo, algo que não acontecia há mais de três meses.

Após 17 de agosto, Lisboa e Vale do Tejo voltou a liderar o número de novos casos, sendo que hoje voltou a ser suplantada pelo Norte.

Hoje, a região de Lisboa e Vale do Tejo registou mais um óbito (de um total de 646) e contabiliza 28.753 casos, dos quais 47 confirmados nas últimas 24 horas.

De acordo com o boletim, houve mais 122 doentes recuperados, totalizando 40.774 casos de recuperação.

O boletim da DGS de hoje revela que há mais um internamento e mais cinco doentes em cuidados intensivos em relação a sábado.

A região Centro contabiliza 4.661 casos confirmados (mais 13), o Algarve 1.028 (mais 14), e o Alentejo regista 887 (mais dois).

Nenhuma destas regiões registou qualquer novo óbito por covid-19.

O Centro mantém 253 mortes, o Alentejo 22 e o Algarve 17.

Nos Açores e na Madeira não houve qualquer mudança face a sábado.

Os Açores totalizam 199 casos desde o início da pandemia e 15 mortes, e a Madeira 140 casos e nenhum óbito por covid-19.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, sendo entre os 40 e os 49 anos que se registam mais infeções, contabilizando-se um total de 9.178, seguida da faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 9.124 casos, e entre os 20 e os 29 anos, com 8.646.

Os dados indicam ainda que houve 25.007 homens e 30.590 mulheres infetados desde o início da pandemia.

Do total de vítimas mortais, 904 são homens e 892 são mulheres.

O maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos, com 1.201 mortes registadas desde o início da pandemia, seguindo-se as faixas entre os 70 e os 79 anos (350).

Os dois novos óbitos registados hoje foram de pessoas com mais de 80 anos.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 34.413 pessoas (mais 243 do que na véspera).

Comunidade portuguesa em Londres aliviada com decisão do Reino Unido

Turistas britânicos aumentam no Algarve e reservas duplicam na Madeira

Bastou o Reino Unido anunciar que Portugal ia passar a integrar a lista de países sem restrições de viagem, para a procura disparar. Na Madeira, as reservas duplicaram e, no Algarve, o setor da hotelaria avalia o impacto nos próximos dias.

Com 20% dos hotéis fechados por falta de clientes e um rombo nas contas do setor do turismo, o Algarve promete continuar com as campanhas no Reino Unido, para convencer o principal mercado a aproveitar a região, o resto do verão e o outono. Pelo menos cinco companhias aéreas alinham na estratégia.

Na madeira, a decisão do governo britânico de incluir Portugal como destino seguro fez disparar as reservas, num verão em que a ocupação turística tem andado pelos 40%.

Os turistas britânicos são responsáveis por mais de 3 mil milhões de euros de receitas para Portugal.

Surto em Vila do Conde: 15 casos positivos obrigam 5 barcos a parar

O número de infetados na comunidade piscatória de Vila do Conde subiu no sábado para 15, mais cinco novos casos de Covid-19 em relação ao último balanço, feito na sexta-feira.

Os novos infetados não se tratam de pescados, mas de pessoas ligadas aos barcos, que trabalham em terra.

Ao todo, 90 pescadores cumprem quarentena e estão impedidos de trabalhar.

A Associação Pró - Maior Segurança dos Homens do Mar quer que a autoridade de saúde trace um plano de contingência específico para os pescadores, a fim de evitar males maiores na comunidade. Entende ainda que é preciso realizar testes a todos os pescadores e familiares, nos meses de setembro e outubro.

A Câmara de Vila do Conde já anunciou que vai disponibilizar instalações para os pescadores da cidade que precisem de ficar em quarentena.

LINKS ÚTEIS

  • 2:34