Coronavírus

Dengue pode fornecer algum nível de imunidade à covid-19, revela estudo

Pilar Olivares

Cientistas encontraram acidentalmente uma relação entre intensos surtos de dengue e a propagação do coronavírus.

Especial Coronavírus

Um novo estudo, que analisou propagação do coronavírus no Brasil, encontrou uma ligação entre a disseminação do vírus e surtos anteriores de dengue, uma doença causada por um vírus transmitido por picadas de insetos. Isto sugere que a exposição à dengue pode fornecer algum nível de imunidade à covid-19.

O estudo científico, liderado por Miguel Nicolelis da Duke University, ainda não foi publicado, tendo sido partilhado em exclusivo pela Agência Reuters. A investigação teve como base a comparação da distribuição geográfica dos casos de coronavírus com a disseminação da dengue em 2019 e 2020.

Os locais com taxas mais baixas de infeção por coronavírus e onde se regista um aumento mais lento dos casos foram regiões que, por sua vez, sofreram intensos surtos de dengue.

"Esta descoberta impressionante levanta a possibilidade intrigante de uma reação imunológica cruzada entre os serotipos de Flavivírus da dengue e o SARS-CoV-2", revela o estudo, referindo-se à reação de anticorpos sem que exista uma exposição prévia a determinado vírus.

"Se for comprovada como correta, esta hipótese pode significar que a infeção por dengue ou a imunização através de uma vacina para a dengue poderia produzir algum nível de proteção imunológica", acrescenta.

Nicolelis disse à Reuters que os resultados são "particularmente interessantes" porque estudos anteriores mostraram que pessoas com anticorpos da dengue podem apresentar falsos positivos para anticorpos covid-19, mesmo que nunca tenham sido infetadas pelo coronavírus.

"Isto indica que há uma interação imunológica entre dois vírus que ninguém poderia esperar, porque os dois vírus são de famílias completamente diferentes", apontou o professor, acrescentando que agora são necessários mais estudos que comprovem a conexão.

O Brasil é o terceiro país do mundo com maior número de infeções por covid-19, com mais de 4,4 milhões de casos.

Em estados como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, com alta incidência de dengue no ano passado e no início deste ano, a covid-19 demorou muito mais a atingir um nível de alta transmissão comunitária em comparação com estados como Amapá, Maranhão e Pará que tiveram menos casos de dengue.