Coronavírus

Se continuar a melhorar, Trump poderá ter alta já esta segunda-feira

Joyce N. Boghosia/The White House/Handout via REUTERS

Equipa médica assumiu que o Presidente necessitou de oxigénio, mas que está a recuperar bem.

Especial Coronavírus

Na conferência de imprensa diária de atualização sobre o estado de saúde do Presidente dos Estados Unidos, a equipa médica do Hospital Militar Walter Reed garante que Donald Trump está a melhorar e que, se assim se mantiver, poderá receber alta já na segunda-feira.

Trump precisou de oxigénio na sexta-feira

O médico da Casa Branca, Sean Conley, revelou que no final da manhã de sexta-feira o Presidente registou febre alta e níveis de oxigénio baixos, razão pela qual necessitou de receber oxigénio.

“Fiquei preocupado e recomendei que lhe dessem oxigénio, e pouco depois os níveis ficaram bons”, informou.

Apesar da melhoria durante o dia de sexta-feira, a equipa médica concordou que seria melhor proceder à hospitalização, apenas por precaução.

Sinais vitais estáveis e não há queixas de falta de ar

Desde sábado, o Presidente dos Estados Unidos continua a melhorar, não tendo registado febre deste sexta-feira de manhã e não se queixa de falta de ar. Os seus sinais vitais estão estáveis, informa a equipa médica.

Se continuarem a ser registadas melhorias, a equipa médica prepara-se para dar alta a Trump já na segunda-feira.

“Sente-se bem, está fora da cama e anda de um lado para a outro”, disse um dos médicos responsáveis pelo tratamento.

O tratamento: remdesivir e dexametasona

Donald Trump recebeu a segunda dose do antiviral remdesivir - um tratamento que terá duração de cinco dias e que foi desenvolvido em 2015 para o tratamento do Ébola - e foi-lhe administrada a primeira dose de dexametasona - um medicamento corticosteroide que desempenha uma ação relevante no desenvolvimento da doença.

O médico da Casa Branca tinha explicado no sábado que Trump também recebeu um 'cocktail' experimental de anticorpos desenvolvido pelo laboratório Regeneron, que deu resultados preliminares encorajadores em testes clínicos num pequeno número de pacientes.

Em entrevista à SIC, o imunologista Henrique Veiga-Fernandes explica que este tratamento inovador tem dois anticorpos sintetizados em laboratório e que, numa fase muito inicial da doença, melhora a propagação da mesma e bloqueia os vírus de infetar novas células.

Trump grava vídeo no hospital e diz esperar "voltar em breve"

O Presidente norte-americano divulgou, na sua conta na rede social Twitter, um novo vídeo, gravado no hospital onde diz que começa a sentir-se melhor e espera "voltar em breve".

No vídeo de quatro minutos, Trump diz que "não se sentia muito bem" quando foi admitido no Hospital Militar Walter Reed, na sexta-feira, após o teste positivo para o coronavírus.

"Sinto-me muito melhor agora, estamos a trabalhar arduamente para que eu recupere totalmente. Penso que voltarei em breve e mal posso esperar para terminar a campanha da forma como a comecei", acrescentou.

Na comunicação, agradeceu ao pessoal médico que o está a tratar e aos líderes mundiais e cidadãos norte-americanos que enviaram votos de melhoras, dizendo estar a lutar pelos milhões de pessoas que têm tido o vírus em todo o mundo.

APOIANTES DE TRUMP À PORTA DO HOSPITAL, OPOSIÇÃO CRITICA GESTÃO DA PANDEMIA

SENADO AMERICANO CANCELA TRABALHO LEGISLATIVO APÓS TRÊS CASOS DE COVID-19

Os republicados decidiram cancelar todo o trabalho legislativo no Senado americano até 19 de outubro, depois de Donald Trump e três senadores terem sido infetados, foi anunciado já este sábado.

O líder do Senado, o republicano Mitch McConnell, afirmou hoje, que, apesar deste adiamento do trabalho legislativo, as audições para a nomeação de Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal mantêm-se.

Ao longo da semana passada, vários dos políticos que testaram positivo estiveram em eventos em que muito poucas pessoas usaram máscaras, sem assegurar o distanciamento físico.

MÁSCARA DE PROTEÇÃO CONTINUA A NÃO SER OBRIGATÓRIA NA CASA BRANCA

A infeção de Donald Trump tem gerado inumeras reações nos Estados Unidos. Entre os apoiantes do Presidente norte-americanao, há agora quem comece a questionar a postura de Trump em relação à pandemia.

Ainda assim, o uso de máscara continua sem ser obrigatório na Casa Branca.

TRUMP SEMPRE MENOSPREZOU A GRAVIDADE DA COVID-19

Desde o início da pandemia, Donald Trump sempre menosprezou a gravidade da covid-19. Recorde algumas declarações polémicas do presidente norte-americano.