Coronavírus

Covid-19. Médico da Casa Branca garante que Trump já não tem sintomas

Crescem as críticas às informações contraditórias sobre o real estado de saúde de Trump.

Especial Coronavírus

O médico da Casa Branca, Sean Conley, garante que o Presidente dos Estados Unidos já não tem sintomas. Mas, nos EUA, cresce a polémica sobre a alta hospitalar e o real estado de saúde de Donald Trump.

Politicamente, dizem os analistas, a infeção presidencial agravou ainda mais as divergências entre Trump e os opositores e a forma como a Casa Branca enfrenta atual pandemia. Os Estados Unidos são o país do mundo com mais casos de covid-19.

VAI CONTINUAR A RECEBER TRATAMENTO, JÁ NA CASA BRANCA

O Presidente dos EUA vai continuar a ser tratado na Casa Branca mas já prometeu regressar, brevemente, à campanha eleitoral. A verdade é que, nem mesmo durante os três dias em que esteve no hospital, Trump deixou de fazer campanha, como ficou claro pelo passeio de carro, perante a multidão, enquanto ainda estava internado, e contra várias opiniões médicas.

De acordo com as normas de saúde pública dos Estados Unidos, Donald Trump terá de permanecer em isolamento, durante 10 dias, pelo menos, depois de terem surgido os primeiros sintomas, confirmados por um teste positivo, o que aconteceu na passada quinta feira, dia 30.

Para cumprir o que está estipulado, Trump teria de ficar em quarentena, sem qualquer contacto com terceiros, até domingo, e testar negativo para poder voltar a sair.

PRESIDENTE TEM SIDO IRRESPONSÁVEL PARA DOIS TERÇOS DOS NORTE-AMERICANOS

Numa sondagem, feita pela CNN, no dia em que se soube que Donald Trump estava infetado, dois terços dos norte americanos diziam que o presidente tinha sido irresponsável na forma como lidou com o risco de contrair o vírus e de infetar os que lhe são mais próximos.

Quase 70% dos inquiridos afirmou não confiar nas informações dadas pela Casa Branca sobre o estado de saúde do chefe de estado.

O candidato democrata, Joe Biden, desejou as melhoras ao presidente, mas não deixou de o criticar.