Coronavírus

Covid-19. Bares e cafés de Bruxelas fecham até novembro

Eric Vidal

O consumo de álcool nos espaços públicos vai ser também interdito nas 19 autarquias da capital belga.

Especial Coronavírus

Os cafés e bares de Bruxelas encerram a partir de quinta-feira durante um mês, mantendo-se apenas os restaurantes abertos. A decisão, anunciada esta quarta-feira, foi tomada pelos autarcas da capital belga na sequência do reforço federal das medidas de contenção da covid-19.

Os autarcas de Bruxelas decidiram ordenar o encerramento de bares e cafés na cidade que apresenta, segundo dados oficiais, a maior incidência de casos por 100 mil pessoas (502), nos últimos 14 dias, sendo a média nacional de 246.

O encerramento dos cafés e bares deverá estar em vigor durante um mês, até 8 de novembro, estando também interdito o consumo de álcool nos espaços públicos nas 19 autarquias da região de Bruxelas.

Na terça-feira, a Comissão de Concertação sobre a covid-19 decidiu adotar medidas mais rigorosas a nível nacional, face à "situação preocupante" - que entram em vigor na sexta-feira e por período de um mês -- que preveem um limite de quatro pessoas por mesa e o encerramento dos estabelecimentos às 22:00.

A partir de sexta-feira, e durante um mês na Bélgica, o contacto próximo fica limitado a um máximo de três pessoas fora do agregado familiar.

Segundo dados desta quarta-feira, a Bélgica registou nos últimos sete dias uma média quotidiana de 2.466 novas infeções, um aumento de 57% face à quarta-feira da semana passada, para um total de 134.291 casos desde o início da pandemia e um balanço de 10.092 mortes.

Quatro das zonas onde a circulação do novo coronavírus SARS-Cov-2 é mais intensa são 'comunas' (autarquias) da região de Bruxelas: Bruxelas-Cidade, Molenbeek, Schaerbeek e Anderlecht.

A pandemia de covid-19 já provocou cerca de um milhão e cinquenta mil mortos e mais de 35,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.