Coronavírus

Covid-19. Trump testou negativos durante "vários dias" com "testes rápidos"

CRISTOBAL HERRERA-ULASHKEVICH

Os "testes rápidos" correspondem à despistagem antigénica, que é menos sensível dos que a testagem molecular tradicional.

Especial Coronavírus

O Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), o republicano Donald Trump, testou negativo à presença do SARS-CoV-2 durante "vários dias consecutivos", através dos denominados "testes rápidos", disse esta segunda-feira o médico da Casa Branca, Sean Conley.

De acordo com a agência France-Presse (AFP), a informação foi transmitida por Sean Conley durante uma declaração particularmente confusa, uma vez que o médico explicou que Trump testou negativo à presença do novo coronavírus, mas através de um teste rápido e não através da despistagem padrão à qual estão a ser submetidos, diariamente, centenas de milhares de norte-americanos.

"Posso informar que [Donald Trump] apresentou resultados negativos [à presença do SARS-CoV-2] durante vários dias consecutivos", disse Conley através de uma missiva divulgada pela Casa Branca.

Os "testes rápidos" correspondem à despistagem antigénica, que é menos sensível dos que a testagem molecular tradicional.

Contudo, o medico do chefe de Estado norte-americano não especificou em que dias foram feitos os exames, mas diz que os testes antigénicos não foram os únicos indicadores que determinaram que Trump já não está infetado.

A equipa médica que supervisiona o estado de saúde de Trump também disse que o Presidente já "não é contagioso".

Esta declaração foi divulgada na mesma altura em que o chefe de Estado estava a bordo do avião presidencial, o Air Force One, em direção à Florida para um comício.

Donald Trump acusado de usar declarações enganadoras na campanha

O principal especialista dos Estados Unidos em doenças infeciosas acusa o Presidente de usar declarações suas, de forma enganadora, para beneficiar a campanha.

Donald Trump retoma esta segunda-feira os comícios. Diz que testou negativo à covid-19, mas nenhum resultado foi oficialmente divulgado.

TWITTER SINALIZA PUBLICAÇÃO DE TRUMP SOBRE IMUNIDADE À COVID-19 POR VIOLAR AS REGRAS

O Twitter adicionou esta segunda-feira uma etiqueta de advertência ao tweet em que o presidente norte-americano, Donald Trump, afirma estar imune ao coronavírus, depois de o médico o autorizar a retomar as atividades públicas.

"Uma autorização total e completa dos médicos da Casa Branca ontem. Isto significa que eu não posso contrair [o coronavírus] (imune) e não posso infetar. Muito bom saber!!", lê-se no tweet.

A etiqueta de advertência do Twitter diz que o tweet "violou as Regras do Twitter sobre a divulgação de informações falsas e potencialmente prejudiciais relacionadas à covid-19".