Coronavírus

Twitter sinaliza publicação de Trump sobre imunidade à covid-19 por violar as regras

Erin Scott

Já o Facebook não fez nada, apesar de a publicação violar as regras relacionadas com a covid-19.

Especial Coronavírus

O Twitter adicionou esta segunda-feira uma etiqueta de advertência ao tweet em que o presidente norte-americano, Donald Trump, afirma estar imune ao coronavírus, depois de o médico o autorizar a retomar as atividades públicas.

"Uma autorização total e completa dos médicos da Casa Branca ontem. Isto significa que eu não posso contrair [o coronavírus] (imune) e não posso infetar. Muito bom saber!!", lê-se no tweet.

A etiqueta de advertência do Twitter diz que o tweet "violou as Regras do Twitter sobre a divulgação de informações falsas e potencialmente prejudiciais relacionadas à covid-19".

Donald Trump também tinha afirmado, numa entrevista à Fox News, que acreditava que ficará imune "talvez muito tempo, talvez pouco tempo, ou até uma vida toda".

Porém, não há evidências de que as pessoas que já estiveram infetadas possam ficar imunes ao vírus. O Centro de Controlo de Prevenção de Doenças deixa um alerta importante: não presumam que estão imunes.

O Presidente norte-americano publicou a mesma mensagem na sua página de Facebook, mas a plataforma não adicionou nenhum aviso.

O Coronavírus e as eleições norte-americanas

Nas declarações à Fox News, Trump também insinuou que Biden pode estar doente.

"Se olharem para o Joe, ele ontem tossia muito, depois agarrava a máscara (de proteção), depois tossia", disse. "Não sei o que é que isso quer dizer, mas a imprensa não falou muito do caso", acrescentou.

A equipa de Joe Biden tem divulgado todos os dias os resultados dos seus testes à covid-19, que têm sido negativos até agora.

Quanto a Trump, tem havido maior opacidade, com a sua equipa médica a recusar persistentemente dizer quando teve o último teste negativo, o que tem alimentado a suspeita de que esteve algum tempo sem ser testado antes do resultado positivo de 1 de outubro.