Coronavírus

Novo recorde de casos. Portugal regista mais 11 mortes e 2.101 novos casos de covid-19

Rafael Marchante

Os últimos dados da DGS.

Especial Coronavírus

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 11 mortos relacionados com a covid-19 e 2.101 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2.128 mortes e 93.294 casos de infeção, estando ativos 36.085 casos, mais 1.502 do que na quarta-feira.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que nas últimas 24 horas há mais 36 pessoas internadas totalizando 993, das quais 139 em cuidados intensivos (mais quatro em relação a quarta-feira).

Nas últimas 24 horas, 588 doentes recuperaram totalizando 55.081 desde o início da pandemia.

A DGS indica que das 11 mortes registadas, sete ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Norte e outras duas na região Centro.

Relativamente aos internamentos hospitalares, nas últimas 24 horas há mais 36 pessoas internadas totalizando 993, das quais 139 em cuidados intensivos (mais quatro em relação a quarta-feira).

Coronavírus por regiões

A região Norte foi onde nas últimas 24 horas se registaram mais novas infeções, com 1.146 casos, totalizando 35.807 e 934 mortos.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 733 novos casos de infeção, contabilizando-se desde o início da pandemia 45.521 casos e 857 mortes.Na região Centro registaram-se mais 163 casos, contabilizando-se 7.511 infeções e 275 mortos.

No Alentejo foram registados mais 40 novos casos de covid-19, para um total de 1.764, com um total de 26 mortos desde o início da pandemia.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 13 novos casos de infeção, somando 2.080 casos e 21 mortos.

Na Região Autónoma dos Açores foi registado mais um caso novo, somando 306 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou cinco novos casos nas últimas 24 horas, contabilizando 305 infeções, sem óbitos até hoje.

Costa não descarta novo confinamento. "Não posso jurar que não serão dados passos dramáticos"

O primeiro-ministro diz que as novas medidas decretadas na quarta-feira por causa da pandemia, que incluem a declaração do estado de calamidade, surgiram porque era preciso dar um abanão ao país para que se alterem comportamentos.

Nume entrevista que será publicada na sexta-feira na íntegra no jornal Público, António Costa revela ainda que estão a ser preparadas unidades de campanha em Lisboa para estender a capacidade do Serviço Nacional de Saúde, à semelhança do que acontece no Porto e que o hospital de campanha de Santa Maria será reativado.

Situação de calamidade prolongada em cinco ilhas dos Açores

O Governo dos Açores decidiu prorrogar até às 24:00 de 23 de outubro a situação de calamidade pública nas cinco ilhas com ligação aérea ao exterior do arquipélago, mantendo as restantes quatro em situação de alerta, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado, o executivo justifica a medida com "a situação epidemiológica que se verifica a nível nacional e internacional" e refere que as decisões, tomadas numa reunião do Conselho de Governo realizada na quarta-feira por videoconferência, "devem ser reavaliadas num espaço temporal mais reduzido, tendo em atenção a evolução da pandemia de covid-19".

As atuais situações de calamidade nas ilhas de São Miguel, Terceira, Santa Maria, Pico e Faial, e de alerta em São Jorge, Graciosa, Flores e Corvo estão em vigor até às 24:00 de hoje e resultaram já de uma prorrogação destes níveis anunciada no início do mês, com efeito por um período de duas semanas.

OMS Europa realça menor mortalidade apesar do aumento de casos diários

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou esta quinta-feira que o número de novos casos diários de infeção com o novo coronavírus na Europa é superior aos primeiros meses da pandemia, mas o número de mortes por Covid-19 é inferior.

Em conferência de imprensa a partir da sede regional da OMS Europa, o diretor regional, Hans Kluge, apontou que o número de novos casos diários atualmente é "duas a três vezes" superior ao que acontecia nos primeiros meses da pandemia, mas o número de mortes é "cinco vezes inferior".

A explicação, adiantou, será o facto de "a transmissão se estar a dar em pessoas mais jovens e menos vulneráveis", mas alertou que a situação "tem potencial para piorar drasticamente com o contacto social entre gerações em espaços interiores".

Bruxelas contra novo confinamento "generalizado e devastador"

A Comissão Europeia apelou hoje aos Estados-membros para que tudo façam para evitar um novo confinamento "generalizado e devastador", numa altura em que a Europa se depara com uma segunda vaga da pandemia de Covid-19.

"Todos devem fazer o necessário para evitar os efeitos devastadores do ponto de vista social, económico e da saúde de um confinamento generalizado", disse, em conferência de imprensa, a comissária europeia para a Saúde, Stella Kyriakides.

"Hoje, a minha primeira mensagem para os Estados-membros é de urgência. Falta-nos tempo", sublinhou a comissária, que apresentou a estratégia de vacinação para a pandemia de Covid-19.

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    Portugal regista este sábado um novo máximo de internados em cuidados intensivos. O Conselho de Ministros está reunido e vai decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas do Governo. Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela Covid-19. No Mundo há registo de mais de 45 milhões de infetados e 1,1 milhões de mortes.

    Ao Minuto

    SIC Notícias