Coronavírus

Retomados os rastreios ao cancro da mama na região Norte do país

Miguel Carlos Cabral

Miguel Carlos Cabral

Repórter de Imagem

Vítor Moreira

Vítor Moreira

Editor de Imagem

Desde janeiro ficaram por fazer 110 mil rastreios.

Especial Coronavírus

O programa de rastreios da Liga Portuguesa Contra o Cancro na região Norte foi suspenso em janeiro por falta de um protocolo com a Administração Regional de Saúde.

A chegada da pandemia, em março, atrasou ainda mais o processo. Agora, nove meses depois, os rastreio do cancro da mama foram retomados.

No norte do país há 630 mil mulheres elegíveis para os rastreios, ou seja, com idades entre os 50 e os 69 anos.

Estas mulheres começam agora a ser chamadas. A Liga Portuguesa contra o Cancro espera conseguir fazer em média 50 rastreios por dia cumprindo todas as condições de segurança e de contigência atuais.

A nível nacional surgem por ano 6.000 novos casos de cancro da mama, uma média de 11 por dia. Quatro mulheres morrem diariamente com a doença.