Coronavírus

Madrid pondera adotar recolher obrigatório para conter a pandemia

Manu Fernandez

França e Bélgica já decretaram a medida.

Especial Coronavírus

A região de Madrid está a estudar a possibilidade de pedir ao Governo central espanhol que declare o recolher obrigatório para garantir que não há deslocações em determinadas horas do dia.

O responsável pela Saúde da comunidade autónoma de Madrid, Enrique Ruiz Escudero, disse esta manhã num encontro organizado pela agência Europa Press que esta possibilidade tem sido discutida internamente no seu departamento.

"Nesta situação em que vivemos com a pandemia, qualquer opção que envolva restrição de atividade ou de mobilidade deve ser estudada", salientou Enrique Ruiz Escudero.

O responsável pela região onde se encontra a capital espanhola, a mais atingida até agora pela pandemia de covid-19, explicou que esta comunidade autónoma não tem autoridade jurídica para adotar esta medida excecional, que é da responsabilidade do Governo e que, na sua opinião, "não seria aplicável apenas em Madrid, mas em toda a Espanha".

"É uma decisão que não vemos com maus olhos", acrescentou Ruiz Escudero.

O Ministério da Saúde espanhola vai reunir-se na quarta-feira com os responsáveis pela saúde das comunidades autónomas, que têm competências para tomar decisões nesta área, esperando-se que do encontro saia algum tipo de indicação comum para enfrentar a pandemia.

O estado de emergência com limitações à deslocação de pessoas está em vigor até sexta-feira em nove concelhos da região de Madrid, entre eles o da capital do país, sendo de prever uma alteração dessas medidas.

As várias comunidades autónomas espanholas têm tomado medidas diversas para conter a propagação da pandemia, como a da Catalunha que decidiu na semana passada fechar todos os cafés, bares e restaurantes durante 15 dias e reduzir a lotação dos centros comerciais para 30% e dos ginásios em 50% para tentar conter o avanço da covid-19.

Recolher obrigatório deixa ruas desertas em França

À meia-noite de sábado, entraram em vigor as novas medidas contra a propagação do novo coronavírus em França.

Nove regiões francesas, entre as quais Paris, agora contam com um toque de recolher, em vigor das 21h00 até às 6h00 e que poderá durar seis semanas.

A ruas estavam desertas no sábado à noite, quando o novo toque de recolher entrou em ação. O objetivo desta restrição é reduzir a crescente taxa de infeções provocadas pelo novo coronavírus em França, que é um dos principais centros da Covid-19 da Europa.

Os donos de restaurantes apresentaram reclamações, uma vez que os negócios estão a sofrer desde a quarentena de dois meses, durante a primavera.

Cerca de 20 milhões de habitantes estão submetidos a estas novas regras, aplicadas num momento em que França regista mais de 30 mil novos casos de Covid-19 por dia.

Bélgica decreta recolher obrigatório em todo o país

O primeiro-ministro belga, Alexander de Croo, decretou o recolher obrigatório em todo o território belga e o encerramento de bares e restaurantes, para combater o que qualificou de "aumento exponencial" dos casos de covid-19 na Bélgica.

Referindo que "os números são alarmantes e significativamente mais elevados do que em março e em abril", altura em que foram tomadas "medidas duras", De Croo referiu que a missão do governo belga é a de "fazer baixar esses números" e que, para tal, terão que ser adotadas "medidas mais estritas".