Coronavírus

Covid-19. "Há transmissões que podiam ser evitáveis" 

As declarações do virologista Paulo Paixão sobre os números da pandemia em Portugal.  

Especial Coronavírus

Paulo Paixão, virologista e presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia, considera que as medicas implantadas para conter a pandemia de covid-19 são adequadas e destaca que o que está a acontecer em Portugal é a nível europeu: "Estamos todos na mesma onda".

Em entrevista esta sexta-feira no Jornal das 7, na SIC Notícias, o virologista considera que a situação foi subestimada, quer a nível social como político.

Sobre a possibilidade de um novo confinamento total, Paulo Paixão defende que, se o país entrar em rutura, "alguma coisa terá de ser feita", mas tem esperança que não seja necessário chegar a esse ponto.

O virologista é a favor do uso da máscara no exterior, concordando com a medida aprovada esta sexta-feira, no Parlamento.

"O exterior não impede a transmissão (...) Se eu estiver a falar com um amigo à distância de um metro, sem máscara, a transmissão faz-se, se calhar com a mesma facilidade com que se fará no interior."

Portugal atravessa "momento muito difícil da evolução da pandemia"

A ministra da Saúde diz que se vive “um momento muito difícil da evolução da pandemia em Portugal e na Europa” e que “os próximos dias se anteveem complicados, com elevada pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde”.

Marta Temido revelou que está a ser criado um hospital de campanha em Penafiel para servir os concelhos da região do Vale do Sousa e referiu que o Governo decidiu aceitar a distribuição de testes rápidos à Covid-19 da Cruz Vermelha Portuguesa.

MAIS 31 MORTES E 2.899 CASOS DE COVID-19 EM PORTUGAL NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta sexta-feira que há mais 31 mortes e 2.899 novos casos de Covid-19 em Portugal.

O número de mortes subiu de 2.245 para 2.276, mais 31 do que na quinta-feira, o número mais elevado de óbitos num só dia desde 24 de abril, quando foram anunciadas pela DGS 34 mortes.

O número de infetados subiu de 109.541 para 112.440, mais 2.899 em 24 horas.