Coronavírus

Vacina contra a covid-19: o que significa ser 90% eficaz?

Miguel Prudêncio, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular, explica as implicações dos resultados preliminares da primeira avaliação da fase 3 dos ensaios clínicos da vacina da Pfizer.

Especial Coronavírus

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech anunciaram que a vacina contra a covid-19 que desenvolveram em conjunto "tem 90% de eficácia".

Os resultados preliminares revelam que os voluntários que receberam a segunda das duas doses da vacina experimental desenvolveram anticorpos contra o novo coronavírus SARS-CoV-2 sete dias depois da inoculação.

Miguel Prudêncio, investigador principal do Instituto de Medicina Modecular da Universidade Nova de Lisbo, em entrevista ao Jornal das Duas da SIC Notícias, começa por explicar o que significa a taxa de eficácia superior a 90%.

"Este resultado agora comunicado coloca a Pfizer realmente muito bem posicionada para ser uma das primeiras, se não a primeira empresa, a conseguir disponibilizar a vacina", diz o investigador.

PEDIDO DE APROVAÇÃO DE EMERGÊNCIA PREVISTO AINDA PARA ESTE MÊS


As farmacêuticas avançam ainda que contam dar entrada com o pedido de aprovação de emergência perante as autoridades de saúde dos EUA na terceira semana de novembro, "pouco depois de a etapa de segurança ser alcançada".

Os ensaios clínicos vão continuar, nomeadamente para a recolha de todos os dados referentes a 164 doentes que foram inoculados. As duas farmacêuticas prevêm fornecer 50 milhões de doses da sua vacina em todo o mundo ainda este ano e até 1,3 mil milhões de doses em 2021.


Portugal prevê comprar vacina da Pfizer

A diretora-geral da Saúde disse esta segunda-feira que Portugal prevê comprar a vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer.

Graça Freitas diz que se a vacina tiver o nível de eficácia anunciado, cerca de 90%, será “uma das melhores vacinas que teremos” e que, por isso, “é uma boa notícia”.

  • 0:43