Coronavírus

Vacina da AstraZeneca. Eficácia de 90% obtida devido a erro na dosagem 

Dado Ruvic

Vacina contra a Covid-19 é ministrada em duas fases

Um erro na dosagem num dos testes pode estar na base da eficácia de 90% da vacina contra a covid-19 da Universidade de Oxford, desenvolvida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

A vacina é ministrada em duas fases, com uma eficácia global de 70%, mas a eficácia aumentou para cerca de 90% num grupo de voluntários que recebeu apenas meia dose da vacina na primeira fase, seguida de uma dose completa na segunda, com pelo menos um mês de intervalo.

Os responsáveis da farmacêutica AstraZeneca já admitiram que a meia dose foi ministrada por acaso e que a descoberta foi afortunada.

O estudo contou com mais de 23 mil voluntários, a maioria no Reino Unido e Brasil.

Vacina da AstraZeneca é mais barata, fácil de distribuir e de armazenar

A vacina de Oxford é muito mais barata, mais fácil de armazenar e de chegar a todos os cantos do mundo em relação às outras duas, o que pode significar que terá um papel significativo no combate à pandemia, se for aprovada pelos reguladores, adianta a BBC.

Esta vacina pode ser armazenada, transportada e manuseada em condições normais de refrigeração (2-8 graus Celsius) por pelo menos seis meses.

Os investigadores de Oxford realizaram o processo normal de desenvolvimento de uma vacina, que levaria uma década, em apenas 10 meses.