Coronavírus

Covid-19. Em média, cada doente infeta menos de uma pessoa

Canva

Segundo dados do Instituto Ricardo Jorge o Rt voltou a estar abaixo do 1.

Saiba mais...

Um doente covid-19 em Portugal está a infetar, em média, menos de uma pessoa, segundo dados do Instituto Ricardo Jorge, que mostram que o Rt voltou a estar abaixo do 1.

"Atualmente, o Rt está abaixo de 1, com valor de 0,99", anunciou Baltazar Nunes, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, durante a reunião do Infarmed, apontando que este decréscimo é resultado do que se está a passar na zona norte e em Lisboa e Vale do Tejo.

Se o Rt for igual a 1 quer dizer que uma pessoa infetada vai dar origem a outro caso de infeção.

Na região norte, que tem sido a zona mais afetada pela pandemia, verifica-se este mesmo comportamento de redução de novas infeções, já que o Rt é agora de 0,96, avançou Baltazar Nunes.

Lisboa e Vale do Tejo tem "um Rt em cima do 1", mas também aqui existe uma transmissibilidade ao nível da estabilização ou mesmo decréscimo.

As restantes regiões mantêm o seu Rt acima ou muito próximo do 1, sendo preciso em alguns casos esperar dias ou semanas para se perceber qual será a evolução da situação.

No Centro também se regista "uma diminuição de transmissão", mas esta região ainda apresenta um Rt acima de 1, segundo os dados analisados entre a semana de 23 a 27 de novembro.

Apesar disso, o especialista aponta "uma tendência de decréscimo clara" naquela zona do país.

No entanto, o comportamento das regiões com menos população são diferentes, "não têm o mesmo padrão", salientou.

O Alentejo e o Algarve continuam a preocupar as autoridades: O Alentejo mantém um Rt acima de 1 e "com uma taxa de crescimento", assim como o Algarve continua a crescer, apesar de ter um Rt já muito próximo do 1.

No que toca às ilhas, a Madeira está a atravessar uma situação menos preocupante, uma vez que apresenta valores estáveis e também com o Rt próximo de 1.

Os Açores, que durante muito tempo tiveram uma incidência baixa, registaram "um crescimento no final do mês de outubro que parece estar a estabilizar", avançou Baltazar Nunes, sublinhando no entanto que ainda são precisos alguns dias para se poder confirmar estar tendência.

  • "Quando estou com os avós sinto-me feliz"

    Desafios da Mente

    As investigações apontam que as crianças que têm avós envolvidos na prestação de cuidados podem ter melhores índices de saúde mental, como uma redução do risco de sintomas depressivos e de comportamentos desviantes, bem como melhor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal, o Dia dos Avós celebra-se a 26 de julho. A data foi instituída pela Assembleia da República, em 2003.

    Mauro Paulino