Coronavírus

Covid-19. Reino Unido atinge novo máximo de casos em 24 horas

Um homem passa pela nova obra de arte de rua intitulada 'Aachoo !!' de Banksy em Totterdown, Bristol, Reino Unido

Rebecca Naden

O total de infeções no Reino Unido desde o princípio desta crise sanitária ultrapassa os 2,5 milhões.

Especial Coronavírus

O Reino Unido registou 57.725 casos de covid-19 em 24 horas, o número mais elevado no país desde o início da pandemia, indicou este sábado o Ministério da Saúde britânico.

Segundo os últimos dados oficiais divulgados, houve 445 mortes ligadas à covid-19, menos do que as 613 comunicadas no dia anterior. O número de novos contágios mantém-se acima dos 50 mil há cinco dias consecutivos.

O total de infeções no Reino Unido desde o princípio desta crise sanitária ascende agora a 2.599.789 e o número de mortos é de 74.570.

Os especialistas consideram que estes níveis alarmantes de casos se devem ao aparecimento de uma nova variante do vírus, mais contagiosa, que levou a um aumento das restrições para o nível máximo em grande parte do território.

A grave situação ameaça sobrelotar os hospitais, alertam os peritos, numa altura em que escolas secundárias, universidades e muitas instituições do ensino primário atrasam o regresso às aulas para 18 de janeiro, quando estava previsto que as férias de Natal terminassem na segunda-feira.

O presidente da Ordem dos Médicos britânica, Andrew Goddard, alertou hoje em declarações à BBC, que o Natal e a nova variante do coronavírus terão "um grande impacto" nas próximas semanas na propagação do vírus no Reino Unido.

A partir de segunda-feira, o Reino Unido poderá contar com duas vacinas para enfrentar a crise sanitária, após ter sido aprovada pelos reguladores na semana passada a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca, que se junta à da Pfizer/BioNTech.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.827.565 mortos resultantes de mais de 83,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.