Coronavírus

Covid-19. Morte de funcionária do IPO após ser vacinada está a ser investigada

A investigação ao caso foi confirmada pela Direção-Geral da Saúde. 

Saiba mais...

A diretora-geral da Saúde confirmou esta terça-feira que a morte de uma funcionária do IPO do Porto, após ser vacinada, está a ser investigada.

Na conferência de imprensa da DGS, Graça Freitas adiantou que a causa da morte ainda está a ser investigada e que é preciso esperar pelas conclusões:

"Temos de aguardar serenamente a investigação".

Em causa está a morte de uma auxiliar do IPO do Porto, que morreu a 1 de janeiro, dois dias depois de ter sido vacinada contra a covid-19.

"A funcionária recebeu a vacina no dia 30 de dezembro, não tendo sido notificado qualquer efeito indesejável nem no momento da vacinação nem nos dias subsequentes", disse o IPO numa resposta por escrito enviada ao jornal Expresso.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO EM PORTUGAL ARRANCOU A 27 DE DEZEMBRO

A campanha de vacinação contra a covid-19 iniciou-se em Portugal em 27 de dezembro com a inoculação de profissionais de saúde nos hospitais. Na segunda-feira, foi alargada aos lares de idosos.

A vacina que está a ser administrada é a do consórcio Pfizer-BioNTech, para cujo uso de emergência foi aprovada em 21 de dezembro pela Agência Europeia do Medicamento.

Até à data foram dadas em Portugal 32 mil doses.