Coronavírus

Covid-19. Reino Unido regista novo máximo diário, com quase 61 mil casos

Russell Cheyne

Registou também 830 mortes nas últimas 24 horas, mais do dobro do dia anterior.

Especial Coronavírus

O Reino Unido registou nas últimas 24 horas 830 mortes, mais do dobro do dia anterior, e 60.916 novos casos de covid-19, um novo máximo diário, divulgou o Ministério da Saúde britânico.

Na segunda-feira tinham sido contabilizados 407 mortes e 58.784 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, sendo hoje o oitavo dia consecutivo em que o número diário de casos ultrapassou 50.000.

Nos últimos dias a média diária de casos aumentou 44% e de mortes 45% comparando com os sete dias anteriores.

Desde o início da pandemia foram contabilizados 2.774.479 casos de contágio e 76.305 mortes atribuídas a covid-19 no Reino Unido.

Inglaterra e Escócia em confinamento

Inglaterra começou esta terça-feira um terceiro confinamento nacional que vai durar pelo menos seis semanas para permitir às autoridades travar um aumento nas infeções com covid-19 que ameaça sobrecarregar hospitais em todo o Reino Unido.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, decretou na segunda-feira à noite que as pessoas não devem sair de casa exceto em casos excecionais, como fazer compras de bens essenciais, trabalhar, fazer exercício ou receber tratamento médico, pelo menos até meados de fevereiro.

A imposição do novo nível 5 na escala de restrições implica que o fim do ensino presencial nas escolas e universidades para a maioria dos alunos, que passam a ter aulas remotamente, pela Internet, exceto para filhos de trabalhadores de serviços críticos.

Comércio não essencial, cabeleireiros e ginásios estão encerrados em toda a Inglaterra e bares e restaurantes só podem vender comida para fora, pelo que o Governo anunciou apoio financeiro de 5,1 mil milhões de euros (4,6 mil milhões de libras) às empresas afetadas.

Na segunda-feira, estavam internados 26.626 infetados nos hospitais ingleses, 40% a mais do que durante o primeiro pico da pandemia, em abril.

Um confinamento semelhante entrou em vigor também esta terça-feira na Escócia, enquanto que Irlanda do Norte e País de Gales, que tinham iniciado restrições nacionais após o Natal, também anunciaram a suspensão das aulas presenciais.

As medidas foram tomadas devido à aceleração da pandemia covid-19 causada pela nova estirpe do coronavírus, considerada mais contagiosa, que fez o número de hospitalizações disparar nas últimas semanas.

Vacinação no Reino Unido

Na sua comunicação, Boris Johnson delineou o calendário para o alívio do confinamento dentro de seis semanas se o programa de vacinação e não surgirem novas complicações com o vírus.

O Governo pretende vacinar todos os residentes e trabalhadores de residências sénior, profissionais de saúde e assistência social, todos os maiores de 70 anos e pessoas clinicamente vulneráveis, cerca de 13,5 milhões no total, até meados de fevereiro.

Cerca de 90% das mortes de covid-19 no Reino Unido foram de pessoas destes grupos.