Coronavírus

Covid-19. "É irritante para as pessoas que cumprem terem de pagar pelos erros que os outros cometem"

O virologista Paulo Paixão na Edição da Tarde, da SIC Notícias.  

Saiba mais...

Paulo Paixão defende que foi um "erro tremendo" a preparação das autoridades de saúde e do Governo para o Natal e que as escolas deveriam fechar por um curto período de tempo, face à pandemia de covid-19.

Em entrevista à SIC Notícias, o virologista concorda com as medidas do confinamento, pois "os números impõem exatamente isso". No entanto, lamenta que tenham sido impostas muito tarde:

"Depois do ladrão entrar é que estamos a por as trancas nas portas"

Paulo Paixão diz que sempre defendeu que as escolas devessem permanecer abertas. No entanto, perante a "situação excecional", admite que seria a favor do encerramento dos estabelecimentos de ensino por "um curto período de tempo": "Se fechassem por um mês, nesta fase pior, eu veria isso com bons olhos".

Reconhece que o encerramento das escolas é uma "matéria discutível", falando nos "efeitos tremendos" que isso tem nas crianças e nos jovens.

"É verdade que não é um local de grande contágio, mas o facto é que é um local onde está muita gente concentrada e, sobretudo, aquele grupo de maior risco"

O virologista adianta que é expectável que os números diários de covid-19 comecem a descer na próxima semana, mas reconhece que o momento da pandemia é grave.

Paulo Paixão defende ainda as multas para quem não respeita as regras, lembrando as imagens que se viram durante o fim de semana de multidões a passear.

"É irritante para os milhões de pessoas que cumprem, terem depois de pagar por todos os erros que as pessoas cometem e sobre os quais estão perfeitamente avisadas."

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros