Coronavírus

Filas de ambulâncias. Capacidade da urgência do Santa Maria está a ser ampliada

PEDRO NUNES

Hospital Santa Maria garante ainda que dá resposta a todos os doentes que se desloquem às urgências.

Saiba mais...

O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, a qual pertence o Santa Maria, explicou esta sexta-feira as razões que têm levado à fila de ambulâncias junto às urgências.

Daniel Ferro diz que no Hospital Santa Maria há ambulâncias com doentes que vêm de outros hospitais e que o número de doentes é superior ao normal.

O presidente do Conselho de Administração garante que a urgência vai ser ampliada, mas só daqui a uma semana estará disponível.

"O espaço que existe está todo ele aproveitado ao máximo e é a capacidade de resolução que existe com estas instalações. Com esta afluência e com este grau de infeção, tudo é falível."

No final da próxima semana deverá estar já a funcionar o alargamento da urgência, que vai permitir quase duplicar a sua capacidade, passando de 30 para mais de 50 doentes em simultâneo.

Hospital Santa Maria garante que dá resposta a doentes que se desloquem às urgências

O Hospital Santa Maria garante resposta a todos os doentes que se deslocam às urgências, disse esta sexta-feira à Lusa fonte oficial do Centro Hospitalar Lisboa Norte, sublinhando que a urgência não covid-19 está a funcionar normalmente.

"A urgência não covid-19 está a funcionar de forma regular, não tem ambulâncias, não tem esperas. Portanto, quem precisar de vir ao hospital deve vir, não se pode quebrar essa confiança entre o doente e o hospital", que "garante reposta a todos", afirmou a mesma fonte.

Sobre a longa fila de ambulâncias com doentes que aguardam para ser atendidos na urgência covid-19 do Hospital Santa Maria, afirmou que "é a prova que o hospital continua aberto e a tentar receber toda a gente".

"Temos aqui várias ambulâncias que vêm, por exemplo, da zona Oeste, que está muito pressionada, o Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, também fechou ao CODU, e o hospital tem uma urgência dimensionada para responder à população de uma região" e neste momento já extravasa essa fronteira.

Portugal regista novo máximo diário de mortes por covid-19

Portugal registou esta sexta-feira mais 234 mortes por covid-19 - um novo máximo diário - e 13.987 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o relatório de situação da Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 9.920 mortes e 609.136 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando esta sexta-feira ativos mais 6.434 casos em relação a ontem, totalizando 157.660 casos - o número mais alto de sempre.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5.779 doentes, mais 149 em relação a quinta-feira, dos quais 715 em cuidados intensivos, mais 13 - valores que também representam novos máximos desde o início da pandemia.