Coronavírus

Associação de Hospitalização Privada diz que colaboração com o SNS “é forte”

Sobretudo desde novembro face à evolução da pandemia.

Saiba mais...

O presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada diz que todos os recursos do país, públicos e privados, não chegam para fazer face à situação que atualmente se vive nos hospitais devido à pandemia de covid-19.

Óscar Gaspar assegura, no entanto, que a colaboração com o setor público é forte, sobretudo desde novembro.

Federação dos Médicos defende negociação com setor privado e social

No domingo, a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) defendeu a negociação de acordos com o setor privado e social de forma a reforçar a resposta à pandemia.

Para a federação, esta "é hora de ação" e "todas as instituições têm de colocar acima de tudo os interesses gerais e públicos, respeitando princípios transparentes e apostando nas pessoas, em particular nos seus profissionais de saúde".

A FNAM alerta para o "perigo de rotura iminente dos serviços de saúde", apontando que este risco "não pode ser equacionado apenas ou fundamentalmente do ponto de vista de ocupação de camas, mas também no défice de estratégia de decisão política e na adoção de medidas preventivas a montante, na saúde e na sociedade, ao nível do planeamento e da ação".

"A colaboração em rede, organizada e estruturada, de todas as entidades de saúde e científicas, envolvidas ou a envolver, permitirá melhorar a resposta às comprovadas e inéditas necessidades em saúde que vivemos em Portugal", aponta a federação.

Ministra da Saúde admite transferir doentes para o estrangeiro

A ministra da Saúde revelou na segunda-feira que está a ser equacionado transferir doentes para o estrangeiro, devido à grande pressão nos hospitais. Em entrevista à RTP, Marta Temido afirmou que o Governo está a "acionar todos os mecanismos" a nível internacional, com o objetivo de garantir uma melhor assistência aos doentes infetados com o novo coronavírus.

"O Governo português está a acionar todos os mecanismos de que dispõe, designadamente no quadro internacional, para garantir que presta a melhor assistência aos utentes", confirmou a ministra.

Marta Temido, acrescenta que o Governo está a trabalhar com grupos privados para assegurar mais camas.