Coronavírus

PSP identificou e multou participantes em evento no restaurante Lapo, em Lisboa

O estabelecimento abriu as portas e voltou a violar o dever geral de recolhimento obrigatório. O proprietário publicou vídeos no Facebook onde é possível ver dezenas de pessoas sem máscara e sem distanciamento, algumas delas a cantar "Grândola Vila Morena".

Saiba mais...

O restaurante Lapo, em Lisboa, voltou a abrir na quinta-feira à noite, violando o dever geral de recolhimento obrigatório, previsto no decreto do estado de emergência.

A Polícia de Segurança Pública confirma a identificação e o respetivo levantamento de treze autos de contraordenação aos cidadãos que lá se encontravam.

Num comunicado enviado à SIC, a PSP sublinha que continuará a atuar em situações de incumprimento das restrições do estado de emergência.

O proprietário do restaurante divulgou o evento em direto no Facebook. Nas imagens é possível ver dezenas de pessoas espalhadas por várias salas do estabelecimento sem máscara e sem distanciamento.

Ainda num outro vídeo, mais longo, o dono do espaço começa por dizer:

"Meus amigos, resistir é preciso. Abram os vossos negócios. A liberdade não se pede, exerce-se", enquanto se ouvia a "Grândola Vila Morena".

Os responsáveis pelo espaço no centro de Lisboa têm defendido o direito à abertura de espaços de restauração, invocando o Direito de Resistência. A 28 de janeiro organizaram uma manifestação, nas imediações do edifício.

Restaurantes podem recusar fechar?

O restaurante Lapo, em Lisboa, recusou a fechar portas quando o Governo decretou o recolhimento domiciliário obrigatório e o encerramento dos restaurantes.

O proprietário do espaço invocou, na altura, o direito de resistência presente na Constituição da República Portuguesa.