Coronavírus

Passaporte de vacinação. Associação Portuguesa de Bioética alerta para limitação de liberdades

Presidente da Associação acredita que, ainda assim, a medida é justificável.

Saiba mais...

O presidente da Associação Portuguesa de Bioética diz que é preciso ter atenção à limitação de liberdades fundamentais no que diz respeito à criação de um passaporte de vacinação. Ainda assim, Rui Nunes acredita que a medida é justificável.

A criação de um passaporte de vacinação não reúne consenso entre os países da União Europeia. Em cima da mesa está a hipótese de um certificado para fins médicos, com informação padronizada entre os 27.

Também será preciso garantir que todos os países da União Europeia reconhecem a validade do passaporte de vacinação.

O certificado também pode vir a ser usado para facilitar as viagens dos turistas, que deixariam de estar sujeitos ao período de quarentena.