Coronavírus

Portugal regista mais 49 mortes e 1.160 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Armando Franca

Número diário de novos contágios é o mais baixo desde 11 de outubro.

Saiba mais...

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 49 mortes (o menor número desde 8 de novembro, em que se registaram 48 óbitos) e 1.160 novos casos de covid-19 (o número mais baixo de novos contágios desde 11 de outubro, quando houve 1.090), segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 16.185 mortes e 801.746 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quinta-feira ativos 73.848 casos, menos 1.548 em relação a quarta-feira.

O boletim epidemiológico da DGS revela também que estão internados 2.613 doentes (menos 154 do que na quarta-feira), o número mais baixo desde 8 de novembro, dos quais 536 em cuidados intensivos, menos 31, número que não era registado desde 8 de janeiro.

As autoridades de saúde têm em vigilância 57.694 contactos, menos 5.708 relativamente ao dia anterior, mantendo-se a tendência decrescente desde o dia 30 de janeiro.

Os dados desta quinta-feira revelam ainda que mais 2.659 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 711.713 o número de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

Há 25 dias consecutivos que o número de recuperados supera o de novas infeções.

Dados por região

Relativamente às 49 mortes registadas nas últimas 24 horas, 28 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 5 na região Centro, 11 na região Norte, duas no Alentejo e 3 no Algarve.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 546 novas infeções, contabilizando-se até agora 303.331 casos e 6.758 mortes.

A região Norte registou 326 novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas e desde o início da pandemia já contabilizou 325.558 casos de infeção e 5.186 mortes.

Na região Centro, registaram-se mais 137 casos, acumulando-se 114.580 infeções e 2.882 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 22 casos, totalizando 28.330 infeções e 935 mortos desde o início da pandemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 45 novos casos, somando 19.989 infeções e 335 mortos.

A Madeira registou 81 novos casos. Esta região autónoma contabiliza 6.227 infeções e 61 mortes devido à covid-19.

Nos Açores foram registados 3 novos casos nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, a região autónoma soma 3.731 infeções e 28 mortos.

Dados por género e faixa etária

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal, pelo menos, 362.554 homens e 438.922 mulheres, referem os dados da DGS, segundo os quais há 270 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.461 eram homens 7.724 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 10.747 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.393 com idades entre os 70 e os 79 anos e 1.421 tinham entre os 60 e os 69 anos.

Pedro Nunes

Presidente da República fala ao país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fala ao país esta quinta-feira às 20:00, na sequência da aprovação pelo Parlamento do diploma que renova o estado de emergência até 16 de março.

Esta informação foi avançada por fonte da Presidência da República.

Máscara e testes obrigatórios à covid-19 em eventos-piloto para avaliar se festivais de verão são viáveis

Depois do confinamento, vão acontecer eventos-piloto para perceber se os festivais de verão podem acontecer e em que moldes. Os participantes terão de ser testados à covid-19 e o uso de máscara será obrigatório.

O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, e o Campo Pequeno, em Lisboa, são os locais escolhidos para receber os eventos-piloto, que vão ajudar a definir se os festivais podem voltar já este verão.

Quem quiser participar tem de levar a máscara, 72 horas antes terá de fazer um teste rápido à covid-19, repetir o teste à entrada do recinto e, 14 dias depois do evento, tem de voltar a testar e responder a um inquérito.

A ideia é criar uma bolha na qual que só entra quem, à partida, não está infetado.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) deu luz verde à proposta dos promotores de espetáculos, mas os eventos só podem acontecer depois do confinamento geral, que ainda não tem data para terminar.

Na melhor das hipóteses, os eventos-piloto acontecem em abril.

LINKS ÚTEIS

MAPA COM OS CASOS A NÍVEL GLOBAL

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo