Coronavírus

Covid-19. Governo português espera reabrir turismo em maio

Rafael Marchante

Secretária de Estado do Turismo diz que o Governo está a "trabalhar no sentido de reabrir o Turismo o mais rápido possível de uma forma segura".

Saiba mais...

Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio graças a certificados de vacinação ou de testes à covid-19, afirmou esta sexta-feira a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, à BBC.

"Por enquanto, as viagens não essenciais precisam de ser restritas, mas acreditamos que Portugal vai poder permitir viagens sem restrições em breve, não só para pessoas vacinadas, mas também para pessoas imunes ou que testem negativo", afirmou.

Segundo a responsável, "vai acontecer em breve, dentro de uns dois meses. Talvez em maio, início de maio", acrescentou, garantindo que pretende ter "tudo pronto para permitir aos britânicos visitar o país".

Rita Marques disse à estação pública britânica que o Governo está a "trabalhar no sentido de reabrir o Turismo o mais rápido possível de uma forma segura" e mostrou confiança no chamado "passe verde" a emitir pelos países da União Europeia.

Comissão Europeia vai apresentar proposta legislativa para criar um livre-trânsito digital

No próximo dia 17, a Comissão Europeia vai apresentar uma proposta legislativa para criar um livre-trânsito digital que permita retomar as viagens em altura de pandemia de covid-19, comprovando a vacinação ou a recuperação dos cidadãos.

O passe pode incluir não só um certificado de vacinação contra a covid-19, mas também de resultados de teste ou informação de imunidade para pessoas que tenham recuperado da doença.

O Reino Unido manteve-se como principal mercado emissor de turistas em 2020, representando 16,3% das dormidas de não residentes, apesar do decréscimo de 78,5% face ao ano anterior, disse o Instituto Nacional de Estatísticas português.

Atualmente, as viagens entre Portugal e o Reino Unido estão interditas e não existem voos diretos, embora seja permitida a circulação de nacionais ou residentes dos dois países que apresentem uma justificação válida e testes ao coronavírus com resultado negativo.

O Governo britânico já disse que não pretende alterar as regras antes de 17 de maio, após avaliar um estudo com recomendações para o restabelecimento com segurança das viagens internacionais.

Portugal junta-se ao Chipre

Portugal junta-se, assim, ao Chipre, que anunciou esta sexta-feira que pretende abrir as fronteiras no próximo mês ao Reino Unido e, a partir de 01 de maio, aceitar a entrada de visitantes britânicos com "certificados de vacinação" sem a necessidade de fazerem testes.

"A partir de 01 de maio, qualquer pessoa que chegue do Reino Unido e tenha sido vacinada não vai precisar de fazer teste antes do embarque. Se o certificado de vacinação estiver disponível, vamos aceitar em vez de um teste", disse ministro adjunto do Turismo, Savvas Perdios, à BBC.

O responsável disse que Chipre já abriu "discussões técnicas" com o Governo britânico e adiantou que, para esta medida funcionar, a vacina tem de ser aprovada pela Agência Europeia de Medicamentos que a segunda dose tenha sido administrada pelo menos sete dias antes do embarque.

Esta abertura aos viajantes britânicos coincide com a Páscoa ortodoxa que este ano se celebra no primeiro domingo de maio pretende permitir a normalização dos fluxos turísticos com o mercado que mais visitantes leva ao Chipre, que representou representaram um terço das quase quatro milhões de chegadas ao Chipre.

O Chipre alcançou um acordo semelhante com Israel, terceira maior fonte de turistas da ilha mediterrânea, em fevereiro, para que os israelitas possam entrar no país sem serem necessários testes ou quarentena.