Coronavírus

Covid-19. Proibido circular entre concelhos do continente na semana da Páscoa

Pedro Nunes

Medida pretende garantir que a Páscoa não é um momento de deslocação e de encontro.

Saiba mais...

A circulação entre concelhos de Portugal continental vai estar proibida no fim de semana de 20 e 21 de março e no período da Páscoa, entre 26 de março e 5 de abril, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro, António Costa.

António Costa falava aos jornalistas, desde o Palácio da Ajuda, em Lisboa, no final do Conselho de Ministros, que esteve desde hoje de manhã reunido para aprovar o plano do Governo de desconfinamento do país a partir de 15 de março.

A medida pretende "garantir que a Páscoa não é um momento de deslocação e de encontro, mas, pelo contrário, mais um momento de confinamento", justificou o primeiro-ministro.

Assim, de acordo com o anunciado, mantém-se a proibição de circulação entre concelhos de Portugal continental no fim de semana de 20 e 21 de março e também entre os dias 26 de março e 5 de abril, correspondente ao período pascal.

A proibição de circulação entre concelhos do continente aos fins de semana, entre as 20:00 de sexta-feira e as 05:00 de segunda-feira, tem sido uma medida adotada em contínuo pelo Governo para limitar a circulação de pessoas e, por consequência, do vírus, desde a quadra de passagem de ano de 2020 para 2021.

No Natal passado foi permitida a circulação entre concelhos para permitir o reencontro de famílias, um fator que foi considerado determinante para o aumento de casos de contágio e de mortes, sobretudo nos dois primeiros meses deste ano.

Hoje, António Costa revelou que o plano de reabertura será "a conta-gotas" a partir de 15 de março, considerando que, neste momento, se pode falar "com segurança" de uma "reabertura progressiva da sociedade" segundo um plano que vai decorrer em quatro fases, até 3 de maio.

Segundo o plano apresentado, os primeiros a abrir, na próxima segunda-feira, serão as creches, o ensino pré-escolar e o 1.º ciclo, assim como os respetivos centros de atividades de tempos livres (ATL), atividades culturais como livrarias, bibliotecas e arquivos, o comércio local de bens não essenciais para vendas ao postigo, incluindo o comércio automóvel, e as atividades de cabeleireiro e similares.

Por seu lado, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou também hoje que as missas com presença de fiéis vão ser retomadas também na segunda-feira, dia 15, sendo de evitar procissões ou visitas pascais.

O primeiro-ministro avisou que as medidas da reabertura serão reavaliadas quinzenalmente e terão que ser revistas sempre que Portugal ultrapassar "o número de 120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias ou sempre que o nível de transmissibilidade ultrapasse o 1".

Hoje, o presidente da República renovou o estado de emergência, após aprovação do parlamento.