Coronavírus

Covid-19. Balanço positivo no fim dos testes nas escolas

Jorge Oliveira

Jorge Oliveira

Repórter de imagem

Pedro Santos

Pedro Santos

Editor de Imagem

Terminou hoje o processo de testagem a professores e funcionários nas escolas que já reabriram.

Saiba mais...

Os resultados oficiais só chegam na segunda-feira. O Ministério da Educação deverá anunciar os número da campanha de testagem que decorreu em escolas do ensino público e privado desde terça-feira.

O fim da primeira semana de aulas coincide com o fim do processo de testagem nos jardins de infância, pré-escolar e primeiro ciclo.

Depois de mais de um mês e meio em casa, os testes a professores e funcionários trouxeram confiança extra aos pais.

No Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, o processo começou e terminou na quarta-feira. Em 5 horas foram testados 150 profissionais.

A campanha nacional arrancou quando os alunos já estavam nas escolas, em contacto com pessoal docente e não-docente, mas, na opinião de Bernardo Gomes, a estratégia não traz desvantagem, uma vez que Portugal vive um período de maior tranquilidade quanto à incidência da covid-19.

"Temos baixas probabilidades de apanhar indivíduos com testes positivos nestas circunstâncias, o que quer dizer que também não me coloca nenhum entrave começarem a testar depois do regresso às escolas", acrescenta o médico de Saúde Pública.

Tudo indica que o processo se repita nos mesmos moldes no regresso dos restantes alunos, até porque o balanço desta primeira experiência é muito positivo.

Filinto Lima, Presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, admite que possa haver escolas em que os testes não tenham terminado por questões logísticas, mas diz estar convencido de que a grande maioria tenha concluído o processo com sucesso.

O mesmo aconteceu no ensino privado, apesar da hesitação incial que tinha deixado os colégios fora das contas do Governo. A Associação de Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo garante que nenhum professor e nenhum colégio suportaram quaisquer custos com os testes.

Tanto público como privado partilham a opinião sobre a importância que esta experiência com os primeiros níveis de ensino possa vir a ter nas próximas fases de regresso à escola.

"É muito importante que estes 15 dias com aulas presenciais da pré-escola e 1º ciclo corram bem, é um barómetro do que será o desconfinamento. Os olhos dos portugueses estão a escrutinar o que se está a passar nas escolas e está a correr bem. As escolas são seguras e com certeza que a testagem e vacinação vão aumentar a confiança das comunidades", diz Filinto Lima.

"Neste momento, as bases de dados estão mais consolidadas, os procedimentos de contacto estão mais consolidades, portanto, seguramente que a testagem e a vacinaçao decorrerão com normalidade", acrescenta Rodrigo Queiroz e Melo, presidente da Associação de Estabelecimentos do Ensino Particular.

Dentro de 3 semanas, voltam a ser testados docentes e não docentes que trabalhem em concelhos com mais de 120 casos por 100 mil habitantes.