Coronavírus

Covid-19. "Processo de vacinação vai ser a chave, juntamente com a consciencialização de todos" 

Entrevista SIC Notícias

Paulo Paixão, virologista e presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia, em entrevista no Jornal das 7.

Paulo Paixão, virologista e presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia, considera que devemos estar preparados para um aumento do número de novos casos de covid-19, como está a acontecer noutros países europeus.

"É perfeitamente natural e até expectável um aumento a seguir à Páscoa", afirma, acrescentando que, neste momento, o Rt estar mais elevado é preocupante, mas os restantes números "são bons".

Sobre o aumento de casos entre os mais jovens, considera que é "normal", uma vez que é difícil conseguirem manter o confinamento. "Tem a ver com algum nível de impaciência", diz.

Na Edição da Tarde, salienta que a vacinação contra a covid-19 já está a começar a fazer efeitos e dá como exemplo a diminuição de casos nos idosos.

O presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia realça a importância da vacinação para proteger de uma infeção grave e a diminuição da transmissibilidade: "Vai ser ponto fundamental que vai contrariar tendência de aumento de casos".

"Processo de vacinação vai ser a chave, juntamente com a consciencialização de todos", disse, referindo-se "ao combate" a um possível aumento de casos provocado pelo aumento de variantes e o desconfinamento.

Questionado sobre o que acontece com 70% da população vacinada, Paulo Paixão explica que o vírus não vai parar de circular.

"O que vai acontecer é: à medida que formos vacinando mais pessoas, vai tendo mais dificuldade em circular", diz.

O especialista defende ainda que o alívio de medidas, como deixar de usar máscara, "ainda vai demorar algum tempo". Prevê que aconteça no final do ano, quando houver mais pessoas vacinadas.

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros