Coronavírus

Zumbidos, vertigens e perda de audição podem ser consequências da covid-19

Estudos verificaram que 7,6% dos doentes covid-19 apresentam perda auditiva.

Saiba mais...

São cada vez mais os pacientes covid-19 que se queixam de problemas auditivos depois de terem tido a doença. Estudos recentes comprovam que, a longo prazo, a infeção pelo novo coronavírus pode causar perda de audição, zumbidos persistentes e vertigens.

O zumbido persistente é o sintoma que mais vezes é identificado, não só durante a doença, mas também semanas ou meses após a cura. Os investigadores sublinham que o zumbido está relacionado também com situações de stress e ansiedade, pelo que a própria crise pandémica pode potenciar este quadro de diagnóstico.

Em todo o mundo, há doentes covid-19 que perderam total ou parcialmente a audição. Os investigadores alertam para a necessidade de realizar estudos mais aprofundados. Em média, 20 em cada 100 mil pessoas perdem a audição anualmente, mas com tantos casos de covid-19 pelo mundo torna-se difícil estabelecer, para já, uma causalidade.

Os investigadores da Universidade de Manchester analisaram vários casos e verificaram que 7,6% dos doentes covid-19 apresentam perda auditiva, 14,8% tinham zumbido e 7,2% relatavam vertigens. Embora seja prematura estabelecer uma ligação de causalidade a estes três sintomas, sabe-se que outros vírus graves têm capacidade de danificar a audição.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros