Coronavírus

Governo prolonga situação de calamidade em Portugal continental até 30 de maio

Pedro Nunes

O anúncio foi feito pela ministra de Estado e Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Saiba mais...

O Governo decidiu esta quinta-feira prolongar a situação de calamidade em território continental para combater a epidemia de covid-19 até ao dia 30 de maio, anunciou a ministra de Estado Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Esta decisão de renovar a situação de calamidade, que se aplica ao território continental de Portugal, foi anunciada por Marina Vieira da Silva no final da reunião do Conselho de Ministros.

A atual situação de calamidade entrou em vigor em 1 de maio e, se não fosse renovada, terminaria às 23:59 horas deste domingo.

De acordo com Mariana Vieira da Silva, esta decisão tem como base a incidência da covid-19 por concelho em 12 de maio.

"Quando olhamos para os níveis de incidência, comparando o início do processo de desconfinamento coma data mais recente, 12 de maio, assiste-se a um decréscimo muito significativo. Os níveis de incidência estão neste momento abaixo de 50 por cem mil habitantes a 14 dias, mais concretamente 48,7", apontou a ministra de Estado e da Presidência.

Já em relação ao nível de transmissão (o Rt), Mariana Vieira da Silva referiu que era de 0,78 em 09 de março, subiu para 1 em alguns momentos, "mas é neste momento de 0,92".

"Isto faz com que o país, olhando para a matriz de risco definida, se encontre claramente num nível verde com uma evolução muito favorável. Neste sentido, temos condições para prosseguir um conjunto de medidas já aprovadas", acrescentou.

Reabrem os parques aquáticos e é permitida diversão itinerante

Esta quinta-feira foi também anunciado que voltam a trabalhar as pessoas ligadas à diversão itinerante e reabrem os parques infantis e aquáticos.

As atividades desportivas são permitidas até mais tarde.

A reabertura das atividades agora permitidas nos municípios mais avançados no plano de desconfinamento tem sido reivindicada pelos empresários destes setores.

  • 1:21