Coronavírus

Fernando Medina avisa que Lisboa vai recuar no desconfinamento

Impacto será sentido sobretudo na restauração.

Saiba mais...

Em entrevista à Renascença e ao jornal Público, o presidente da Câmara de Lisboa assume que os casos de covid-19 na capital estão ainda em crescimento e que o concelho vai mesmo recuar no desconfinamento.

O autarca relembra que o impacto será sobretudo sentido pela área da restauração, que poderá voltar a ter de fechar portas às 15:30 aos fins de semana e feriados. As restrições à circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa também devem ser prolongadas.

Fernando Medina pede ainda uma mudança na matriz de risco, indicador que determina as linhas vermelhas para as condições de desconfinamento.

“A matriz de risco foi definida quando vacinação estava mais atrasada. Não podemos ter os mesmos termos quanto temos 5% da população vacinada ou quando ultrapassamos os 30%”, defende.

Governo anuncia esta quinta-feira se país avança ou não no desconfinamento

Para a próxima segunda-feira está prevista uma nova fase de desconfinamento, mas cabe ao Conselho de Ministros, que se reúne esta quinta-feira, decidir se, perante o aumento de casos, haverá ou não um adiamento.

Lisboa já ultrapassou a linha vermelha e tem mais de 240 casos de infeção por 100 mil habitantes. A capital, em risco elevado, está há três semanas acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, sendo que no último relatório semanal o valor subiu para os 306 casos por 100 mil habitantes.