Coronavírus

Vacinação de jovens. "Temos de dar liberdade à DGS para poder decidir da forma mais correta possível"

O bastonário da Ordem dos Médicos na Edição da Noite da SIC Notícias.

Saiba mais...

A ministra da Presidência disse, esta quinta-feira, que a vacinação entre os 12 e os 17 anos depende da Direção-Geral da Saúde. Declarações em sentido contrário às do primeiro-ministro que assegurou na passada quarta-feira estar tudo preparado para vacinar os jovens na segunda quinzena de agosto, antes do próximo ano letivo.

Políticos e especialistas não chegam a acordo sobre o que fazer.

Mas em países como os Estados Unidos, Israel e França, a vacinação a partir dos 12 anos já começou.

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, debateu o assunto na Edição da Noite da SIC Notícias.

"O que está a acontecer no momento é a avaliação do risco-benefício, porque nas pessoas mais novas, a gravidade da doença é menor. Ainda assim existem casos graves", começou por dizer.

Miguel Guimarães lembrou que a vacinação "não é obrigatória" em nenhuma faixa etária.

"Não devemos entrar em guerras mais ou menos fundamentalistas"

"Neste momento temos de dar alguma liberdade, em termos de pensamento, e alguma tranquilidade à Direção-Geral da Saúde para poder decidir da forma mais correta possível", afirmou.

"É fundamental que numa fase difícil, em que ainda não ganhámos o combate à covid-19, e em que estamos a ter sucesso no plano de vacinação, nós acreditemos na ciência. Acho que não devemos entrar em guerras mais ou menos fundamentalistas como me parece que este tema está a levar as pessoas. Deixemos os peritos e avaliar aquilo que já existe publicado", rematou.

  • "Quando estou com os avós sinto-me feliz"

    Desafios da Mente

    As investigações apontam que as crianças que têm avós envolvidos na prestação de cuidados podem ter melhores índices de saúde mental, como uma redução do risco de sintomas depressivos e de comportamentos desviantes, bem como melhor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal, o Dia dos Avós celebra-se a 26 de julho. A data foi instituída pela Assembleia da República, em 2003.

    Mauro Paulino