Coronavírus

Covid-19. Sydney prolonga confinamento até final de agosto

SAEED KHAN

A Austrália foi afetada pela variante Delta sobretudo porque apenas 13% dos 25 milhões de habitantes foram vacinados.

Saiba mais...

As autoridades de Sydney anunciaram hoje que o confinamento da população foi alargado até 28 de agosto, devido ao aumento das taxas de infeção com covid-19 e as baixas taxas de vacinação.

A maior cidade da Austrália devia terminar o confinamento de cinco semanas na sexta-feira, mas as restrições foram prolongadas por quatro semanas até 28 de agosto.

"Compreendo o que estamos a pedir às pessoas durante as próximas quatro semanas, mas é porque queremos proteger a nossa comunidade e garantir que podemos recuperar o mais rapidamente possível", disse a chefe do governo do estado de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian.

"Precisamos realmente que as pessoas se comportem bem o tempo todo. Não baixem a vossa guarda", pediu a responsável do estado, na costa leste do país.

Já em Melbourne, o confinamento foi levantado na terça-feira, ao fim de duas semanas, graças à "determinação e trabalho árduo", disse o primeiro-ministro do estado de Vitória (sudeste), Dan Andrews.

A Austrália, que foi bastante poupada nas primeiras vagas da pandemia, foi afetada pela variante Delta, altamente contagiosa, sobretudo porque apenas 13% dos 25 milhões de habitantes foram vacinados contra o novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.169.966 mortos em todo o mundo, entre mais de 194,6 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.307 pessoas e foram registados 956.985 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.