Coronavírus

Covid-19. Medicamento israelita trata doentes em cinco dias 

O fármaco foi testado na Grécia onde 93% dos pacientes teve alta. O investigador Nadir Arber explicou, em entrevista à SIC, como funciona e o que falta para ser comercializado. 

Saiba mais...

O EXO-CD24 é o resultado de mais de 20 anos de investigação, agora aplicada à covid-19. Na base está o estudo da molécula CD24, presente de forma natural no corpo humano.

O fármaco é administrado diretamente nos pulmões, por inalação de três a quatro minutos por dia, durante cinco dias. Segundo o responsável pela investigação, Nadir Arber, "a maioria dos doentes foi para casa depois de cinco dias e sente-se melhor depois de duas doses".

A segunda fase da investigação decorreu com sucesso em vários hospitais em Atenas, na Grécia, e sem registo de efeitos secundários.

O estudo segue esta semana para a terceira fase - a última - que vai comparar o medicamento com placebo.

"Até ser comparado com placebo, não podemos dar certezas. Por isso vamos lançar a terceira fase esta semana em Israel. Temos muita esperança que possa expandir para termos o remédio para o mundo e podermos voltar ao futebol."

A explicação e a esperança do Professor Nadir Arber, do Centro Médico de Sourasky, em Telavive, que, em entrevista à SIC, acrescenta que o remédio não dispensa a vacinação. Mas há outra boa notícia neste estudo: pode evitar a hospitalização.

"Não precisamos de dar a qualquer pessoa, só vamos dar às pessoas que precisam, que têm covid-19. As pessoas vão estar em casa e podem tomar uma inalação especial. Se for complicado podem ir a um centro de saúde. Não precisam de ir a um hospital. Só para aqueles que não funcione."

Em menos de quatro meses, a produção poderá ser feita para todo o mundo, de forma rápida, eficiente e a baixo custo.

Numa luta contra o tempo, a equipa de Nadir Arber espera conseguir disponibilizar este medicamento até ao final do ano.