Coronavírus

Covid-19: especialistas temem "quarta vaga fulminante" na Alemanha 

Casos de covid-19 e hospitalizações estão a aumentar na Alemanha.  

Com o aumento de casos de covid-19 e de hospitalizações, a Alemanha teme uma quarta vaga fulminante e está determinada em acelerar o ritmo de vacinação.

Nas últimas duas semanas, o número de doentes em unidades de cuidados intensivos quase duplicou.

O Governo alemão já começou a pressionar a população não vacinada, com a introdução de várias restrições para incentivar a vacinação.

Também a Macedónia do Norte tem assistido a um aumento de infeções e de mortes, a que se somam mais 14, depois de um incendio num hospital de campanha para doentes com covid-19.

A unidade em Tetovo era um dos muitos hospitais de campanha instalados pelo país para dar resposta ao aumento de casos de covid-19, numa altura em que o país enfrenta uma nova vaga e conta com pouco mais de 30% da população vacinada.

Covid-19: OMS apela a "extensão da moratória pelo menos até final do ano"

Ao mesmo tempo que alguns países reforçam as campanhas de vacinação e até aplicam terceiras doses, outros nem à primeira têm acesso.

Para reduzir a desigualdade mundial na distribuição de vacinas, a Organização Mundial da Saúde voltou a pedir aos países mais avançados no processo que esperem até ao fim do ano para avançar com o reforço.

O objetivo global da OMS é que cada país vacine pelo menos 10% da população até ao fim de setembro, 40% até ao fim do ano e que 70% da população mundial esteja imunizada até meados do próximo ano.

Leia mais:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros