Coronavírus

Covid-19: Marcelo promulga diploma sobre fim das máscaras em transportes públicos

Covid-19: Marcelo promulga diploma sobre fim das máscaras em transportes públicos
RUI MANUEL FARINHA / LUSA
O Presidente da República sublinhou que não se trata de uma "solução" para o momento atual e que "nada é definitivo".

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta quinta-feira o diploma que altera a obrigação do uso de máscaras devido à covid-19, aprovado em conselho de ministros na quinta-feira.

Numa breve informação na página oficial da Presidência da República diz-se que Marcelo Rebelo de Sousa "promulgou hoje [sexta-feira] o diploma que altera as medidas aplicáveis no âmbito da pandemia da doença covid-19".

Esta quinta-feira, na Feira do Livro do Porto, Marcelo relembrou que as medidas para a covid-19 não são definitivas e que dependem da evolução pandémica.

"A solução encontrada foi para agora, neste momento. Nada é definitivo na vida em matéria de pandemias. E sempre com a liberdade das pessoas mais vulneráveis poderem, sendo aconselhável, proteger-se através de máscaras. O mesmo vale quanto a farmácias: quem, nas idas às farmácias, for para uma permanência mais longa, com um aglomerado maior, às vezes para curativos ou tratamentos pontuais, certamente pode ser aconselhável ter uma proteção que não existe para quem vai comprar o seu medicamento."

Loading...

Na quinta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou após reunião do Conselho de Ministros que a utilização de máscara nos transportes públicos de passageiros devido à pandemia de covid-19 deixou de ser obrigatória.

"Atendendo à manutenção da evolução favorável, com uma tendência controlada da utilização dos cuidados de saúde e também com a informação cientifica disponível, [o Conselho de Ministros] entendeu ser adequado pôr fim à obrigatoriedade de utilização de máscaras ou viseiras nos transportes públicos de passageiros e também em táxis e TVDE", afirmou Marta Temido.

A governante explicou ainda que o fim da obrigatoriedade do uso da máscara de proteção se estende aos aviões e às farmácias de venda ao público. No entanto, Marta Temido ressalvou que continua a ser necessário usar máscara nos hospitais e em lares de idosos.

Na altura Marta Temido referiu que o diploma aguardava promulgação pelo Presidente da República, seguindo depois "os trâmites habituais".

Últimas Notícias
Mais Vistos