Eleições no Brasil

Cabines para tik tok's e sertanejo: assim será o lançamento da candidatura de Bolsonaro

Cabines para tik tok's e sertanejo: assim será o lançamento da candidatura de Bolsonaro
Buda Mendes

Bolsonaro lança este domingo candidatura à reeleição nas presidenciais.

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, lança este domingo no Rio de Janeiro a sua candidatura à reeleição durante a convenção do Partido Liberal (PL), em que deverá oficializar também o general Walter Braga Netto como candidato a vice-presidente.

A festa de lançamento terá, segundo os organizadores, a forte presença das cores verde e amarelo. No convite divulgado nas redes sociais é inclusivamente sugerido o uso destas cores pelo público que pretende comparecer.

As mensagens principais deverão apelar ao público conservador, com especial atenção para as mulheres, que têm sido, segundo as sondagens, o grupo populacional que mais rejeita o Presidente brasileiro.

Segundo os 'media' locais, a cerimónia deve durar algumas horas e contará ainda com apresentação de músicos ligados ao género sertanejo e cabines para que jovens gravem vídeos para a aplicação TikTok.

Na quinta-feira, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva lançou a sua candidatura à Presidência ao lado do político conservador e ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, que concorrerá consigo ao cargo de vice-presidente. Horas antes, o seu partido, o Partido dos Trabalhadores (PT) formalizou o apoio a Lula.

Lula da Silva lidera todas as sondagens sobre as intenções de voto nas presidenciais brasileiras, com média de cerca de 44% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem o apoio de pouco mais de 30% dos eleitores.

Com a sua reeleição ameaçada, Bolsonaro tem intensificado campanha contra o sistema de votação por urnas eletrónicas, adotado no Brasil desde 1996 sem nenhuma fraude comprovada.

Na terça-feira, o Presidente brasileiro intensificou a sua campanha contra o voto em urnas eletrónicas num encontro convocado por si com dezenas de embaixadores, durante o qual colocou o sistema de votação em causa, sem apresentar provas.

A ação do governante provocou um pedido do Presidente do Tribunal Superior Eleitoral e juiz do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, que deu um prazo de cinco dias para Bolsonaro explicar as suas denúncias sobre fraudes no sistema eleitoral, atendendo a uma reclamação apresentada pelo Partido dos Trabalhadores (PT), de Lula da Silva, e pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), do também candidato ao cargo máximo do executivo brasileiro, Ciro Gomes.

As presidenciais brasileiras estão marcadas para 2 de outubro (primeira volta) e 30 de outubro (segunda volta).

Últimas Notícias
Mais Vistos