Eleições no Brasil

Lula da Silva diz que Bolsonaro é "uma cópia ruim de Trump"

Lula da Silva diz que Bolsonaro é "uma cópia ruim de Trump"
MIGUEL SCHINCARIOL

O ex-Presidente do Brasil lembrou que Trump "também tentou não aceitar o resultado" eleitoral e fez referência à invasão ao Capitólio.

O ex-presidente brasileiro Lula da Silva disse esta segunda-feira que o atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, seu principal rival nas eleições presidenciais de outubro, "é uma cópia ruim" do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

"Estou convencido de que no Brasil o resultado das eleições será respeitado sem discussão", disse Lula da Silva ao ser questionado sobre o risco do atual Presidente não aceitar possível derrota nas eleições em que tentará um terceiro mandato depois de ter governado o país entre 2002 e 2010.

Segundo Lula da Silva, Bolsonaro "mentiu, espalhou notícias falsas, desafiou instituições (...) Trump também tentou não aceitar o resultado, [seus apoiantes] tentaram invadir o Capitólio. E ele teve que ceder".

Bolsonaro, questiona com recorrência, sem provas, a confiabilidade do voto eletrónico no Brasil. No último sábado, porém, moderou sua posição, dizendo que em caso de derrota, o resultado das urnas será respeitado.

No seu primeiro encontro com os media internacionais desde o lançamento de candidatura, Lula da Silva prometeu em São Paulo, fazer das mudanças climáticas uma prioridade e disse que, se vencer, lutará seriamente contra o desflorestamento e os incêndios floretais.

O candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) acrescentou que pretende assumir compromissos internacionais contra as mudanças climáticas e acabar com a "mineração ilegal".

Segundo dados oficiais, desde a posse de Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019, o desflorestamento médio anual na Amazónia aumentou 75% face a década anterior.

Lula da Silva, de 76 anos, diz que o futuro Presidente terá "a imensa tarefa de restabelecer as relações internacionais" com o Brasil, cujo atual Governo atrai críticas em todo o mundo, principalmente pelas suas políticas ambientais.

O ex-presidente brasileiro acrescentou que pretende "fortalecer as relações entre os países da América do Sul", onde as vitórias da esquerda no Chile e na Colômbia "mostram que o povo latino-americano não quer mais fascistas à frente do continente".

O candidato petista indicou que buscará finalizar o acordo comercial entre o Mercosul (bloco formado pelo Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) e a União Europeia, mas por enquanto "não há pressa".

Lula da Silva lidera as sondagens com 47% das intenções de voto, contra 32% de Jair Bolsonaro, segundo o instituto Datafolha.

Últimas Notícias
Mais Vistos