Eleições no Brasil

“A taxa de rejeição de Bolsonaro é altíssima, a taxa de rejeição de Lula é muito alta”

Análise

Loading...

A análise de Ricardo Costa aos resultados das presidenciais no Brasil.

Lula da Silva venceu a 1.ª volta das Presidenciais do Brasil (48%), mas não foi suficiente e vai disputar a 2.ª volta com Bolsonaro (43%) a 30 de outubro.

“Foi uma vitória para Bolsonaro porque o resultado ficou acima do que as sondagens indicavam”, diz Ricardo Costa que faz a análise sobre a realização de sondagens no Brasil e antecipa o que acontecerá a 30 de outubro.

Lula da Silva, é candidato com mais probabilidade de ganhar mas “aqui entra a taxa de rejeição”.

“Lula é, a seguir a Bolsonaro, o candidato com a maior taxa de rejeição, é historicamente muito alta”, explica.

Corrupção, recessão e violência caracterizaram anteriores governos de Lula e Dilma Rousseff. "É muito difícil votar em Lula", considera.

“A taxa de rejeição de Bolsonaro é altíssima, a taxa de rejeição de Lula é muito alta, mas é mais baixa que a de Bolsonaro". Para Lula vencer a segunda volta é preciso que as pessoas que votaram noutros candidatos votem agora em Lula. “O problema é que há uma parte desta pessoas que se vão abster porque, detestando Bolsonaro, não querem votar em Lula”.

"Lula é muito fácil de atacar e de detestar. A sorte dele é que Bolsonaro ainda é mais fácil de atacar e muito mais fácil de detestar”.

Últimas Notícias
Mais Vistos